EDUCAÇÃO

Parque São Carlos é 'eleita' a pior escola de Três Lagoas

Segundo o relatório bienal elaborado pela QEdu, apenas 5% dos alunos do 9º ano aprenderam o adequado em matemática

Por Jonas Turolla
22/03/2017 • 15h34
Compartilhar

Ótimos resultados no atletismo e péssimos em matemática e português. Esse é o retrato da Escola Municipal Parque São Carlos, 'eleita' a pior escola da rede pública de Três Lagoas, segundo o relatório bienal elaborado pela QEdu, instituição voltada à análise da educação no país. Para se ter uma ideia da defasagem da escola no quesito aprendizado, apenas 5% dos alunos do 9º ano aprenderam o adequado em matemática, no ano escolar de 2015.

Os dados saíram dos questionários aplicados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) durante a Prova Brasil 2015 e foram divulgados na última segunda-feira (20). O JP News publicará, ao longo da semana, uma série de reportagens sobre a qualidade do ensino em Três Lagoas.

Dos 144 estudantes matriculados no 9º ano da escola Parque São Carlos, 42% apresentaram nível considerado 'insuficiente' em matemática. Em língua portuguesa, o desempenho dos alunos também foi ruim. Somente 14% conseguiram assimilar o conteúdo previsto adequadamente. A situação se repete com estudantes do 5º ano: 25% aprenderam matemática e 31% português. Diretora educacional e pedagógica da Secretaria de Educação e Cultura de Três Lagoas, Ângela Maria de Brito reconheceu a seriedade da situação educacional do Parque São Carlos e prometeu ações para reverter os resultados.

"Não podemos nunca apontar apenas um problema. Nós temos famílias desestruturadas, professores desmotivados, o índice de violência é muito grande lá... são vários fatores que interferem nesses resultados. O Parque São Carlos é o nosso foco de intervenção pedagógica. Temos três meses de gestão e a escola está em estudo para que a gente acerte nos projetos e possa reverter os resultados", declarou.

A diretora também comentou o fato da escola ter conquistado resultados expressivos em competições de atletismo estado afora e, ao mesmo tempo, ter registrado os piores índices em disciplinas fundamentais. "É este imbricamento de que uma coisa (atletismo) não está desvinculada da outra (matemática e português) que nós temos que aproveitar. Aproveitar o potencial desses alunos para a aprendizagem dos conteúdos necessários para eles se desenvolverem na vida", afirmou.

Dentre as melhores escolas da rede pública de Três Lagoas, de acordo com o levantamento do QEdu, estão as escolas municipais Presidente Médici (5º ano) e Maria Eulália Vieira (9º ano), além da Escola Estadual Fernando Correa (5º e 9º ano). Os índices de aprendizado destas instituições para alunos do 9º ano, no entanto, ainda são preocupantes.  "Investiu-se muito nas políticas voltadas para o ensino fundamental 1, do 1º ao 5º ano, e o ensino fundamental 2, do 6º ao 9º, foi deixado de lado. Nós, da rede municipal, vamos tentar investir nessa faixa etaria de alunos, que é o 'nó' que temos na educação, não só em Tres Lagoas, mas também no Brasil", finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Educação

VEJA MAIS