EDUCAÇÃO

Trabalhadores em Educação prepararam greve

Governo do Estado anuncia reajuste zero para administrativos em educação

Por Ana Cristina Santos
31/05/2017 • 16h50
Compartilhar

O governo do Estado anunciou reajuste zero para os funcionários administrativos da Rede Estadual de Educação do Mato Grosso do Sul. Segundo a Federação dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul (Fetems), após dois anos de congelamento do reajuste dos servidores administrativos, da não incorporação do abono de R$ 200 concedido em 2015, o governo do Estado chamou uma reunião do Fórum Dialoga, espaço de debate entre o poder público e os sindicatos representantes das categorias do funcionalismo, nesta quarta-feira (31), onde anunciou o índice de 0% de reajuste para os servidores públicos.

De acordo com o presidente da Fetems, Roberto Magno Botareli Cesar, ou o poder público ajusta a máquina, revendo os processos como o número de convocações e as funções exercidas, ou jamais haverá dinheiro em caixa para a política de valorização do serviço público. “Entendemos perfeitamente a conjuntura da crise política que gera a econômica e que, inclusive nos mostrou nas últimas semanas como funciona a interferência do capital no poder público, gerando as tais “isenções fiscais”, que fazem cair drasticamente a arrecadação do Estado, mas como já afirmei algumas vezes, o serviço público não pode ser penalizado com dois anos de congelamento salarial e ficar à mercê de um abano de R$ 200 que será o primeiro a cair quando a crise apertar ainda mais”, ressalta.

Segundo a Fetems, uma reunião será realizada na próxima semana com representantes dos 73 sindicatos da Federação para discutir a mobilização que pode resultar em greve na Rede Estadual de Ensino do Mato Grosso do Sul.

 “Nossa luta contra a desvalorização dos servidores públicos de Mato Grosso do Sul deve se intensificar nesse momento e vejo poucas saídas para um governo que não apresenta propostas e apenas se lamenta da queda de arrecadação. A união dos sindicatos representantes das categorias segue firme e forte, caminhando rumo a uma Greve Geral do funcionalismo público de nosso Estado”, adiantou o presidente da Fetems.

Ainda durante a reunião, o governo também anunciou manutenção do abono por 12 meses, continuidade dos processos de revisão do Plano de Cargos e Carreira e manutenção dos processos de promoção e progressão.

A secretária estadual de Educação, Maria Cecília Amendola da Motta, esteve em Três Lagoas nesta quarta-feira (31) e confirmou ao JPNEWS que, nesse momento, não existe a possibilidade do Estado conceder reajuste em razão das dificuldades financeiras.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Educação

VEJA MAIS