Três Lagoas, 18 de setembro
29º C
(67) 99229-0519

Caixa começa a liberar o saque de contas inativas do FGTS

Segundo a Caixa, 70 mil pessoas têm direito ao saque na região de Três Lagoas

Por Sérgio Colacino
11/03/2017 • 10h55
Compartilhar

A Caixa Econômica Federal começou, nesta sexta-feira (10), a liberar a retirada das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) em todo o país. Em março, podem sacar os valores apenas os contribuintes nascidos em janeiro e fevereiro. Segundo a Caixa, 70 mil pessoas têm direito ao saque na região de Três Lagoas. Em todo o Estado, R$ 79 milhões devem ser injetados na economia nesta primeira fase.

Ontem, as agências de Três Lagoas começaram o atendimento mais cedo, às 8 horas. Bem antes das portas abrirem, a fila já era grande. Até quem chegou cedo teve de ter paciência.

“Devia ter vindo antes”, conta Fabiano Silva, que trabalha na área de segurança e por volta das 9 horas da manhã ainda não tinha conseguido entrar na agência. “Essa fila e esse calor estão desanimando”, lamentou o vendedor Ronei Cássio.  Hoje, as duas unidades da cidade também funcionam das 9 às 15 horas. O atendimento será estendido na segunda (13) e na terça-feira (14), quando as agências abrem às 8 horas. “A orientação para os trabalhadores é que não tenham pressa em sacar o FGTS. Não é necessário uma corrida às agências. Todos serão necessariamente atendidos até o final do calendário”, disse a vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da Caixa, Deusdina Pereira, em nota.

Segundo a Caixa, nas primeiras três horas de atendimento, 300 mil pessoas já haviam retirado R$ 300 milhões em todo o país. Para a presidente da Associação Comercial e Industrial de Três Lagoas, Glaucia Jaruche, a liberação dos fundos deve movimentar a economia local. “A expectativa é positiva, tanto para novas compras como para que os inadimplentes acertem suas contas”, afirma.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS