Investigação

Morto pela PM pode ter elo com facção criminosa

Bando preso possui tatuagens e dialetos de organização criminosa, diz delegado

20/10/2018 13:21


O delegado Marcílio Ferreira Leite, da 2ª Delegacia de Polícia, informou que o bando preso na manhã de quinta-feira (18), em Três Lagoas, apresenta indícios de ligação com organização criminosa ligada ao tráfico de drogas, que atua dentro e fora dos presídios brasileiros. "Tatuagens, termologias e outras características dos suspeitos são semelhantes aos de membros do PCC [Primeiro Comando da Capital], mas, ainda investigamos o caso. Ainda não foi possível levantar a ficha deles, pois dois portavam documentos falsos e os outros dois estavam sem", disse. 

O delegado revelou que Bruno Henrique de Souza Vicente, de 26 anos, morto em confronto com policiais militares, possui várias tatuagens, o que possibilitou a identificação por parte da mãe dele. O corpo foi enterrado em Hortolândia (SP), nesta sexta-feira. Bruno foi atingido por três tiros de arma .40, da Polícia Militar. 

Os outros três suspeitos: Antônio Gomes Silva, de 58 anos; Rafael Henrique Calvo, de 35, e Rodrigo Paranhos dos Santos, de 33, foram presos em flagrante e aguardam posicionamento da Justiça. Nenhum deles têm passagem pela polícia.


André Barbosa