Educação

'Em fase de estudos', afirma tenente sobre Colégio Militar

Pais, professores e estudantes de Paranaíba e região se animaram com a possibilidade de implementação do projeto de parceria educacional em Paranaíba

13/11/2018 15:08


O tenente Wellington Luiz, do 13° Batalhão de Polícia Militar, confirmou a possibilidade de implantação de um Colégio Militar em Paranaíba (MS). Segundo o tenente, estudos estão sendo feitos sobre a viabilidade da execução de um programa de gestão compartilhada com alguma instituição educacional já atuante no município. A declaração foi data em entrevista ao Jornal do Povo, da Rádio Cultura FM Paranaíba 106.3MHz, na manhã desta terça-feira (13).

“Nós estamos realizando estudos referentes à viabilidade e possibilidade de implantação deste tipo de colégio no município de Paranaíba”, afirmou.

Wellington também confirmou a informação de que o colégio funcionaria em um sistema de gestão compartilhada entre escola e Polícia Militar. “Os estudos não são sobre a criação de um colégio especificamente militar, são relativos a um programa de gestão compartilhada. A Polícia Militar atuará disciplinarmente em relação à vida dos nossos jovens, tão somente. A parte didática e pedagógica em nada será influenciada”, disse.

Ainda segundo o tenente, os estudos, que levam em conta fatores orçamentários, prediais, legislativos, técnicos e estruturais, serão repassados ao escalão superior e avaliados para sua definitiva aplicação ou não.

O projeto, chamado de Escola Tiradentes, é um sistema de compartilhamento de gestão de escolas já existentes. Alinhado com a Secetaria Estdual de Educação, seu foco é direcionado ao ensino Fundamental e Médio. De acordo com informações divulgadas pela imprensa da capital, para o funcionamento oficial o projeto precisa de aprovação da Assembleia Legislativa, onde um texto já estaria sendo encaminhado para discussão. Projetos também devem ser enviados às Câmaras dos municípios que pretendem receber a parceria. No caso de Paranaíba e Chapadão do Sul - dois municípios que provavelmente devem vir a receber a instituição parceira de ensino -, ainda segundo a imprensa de Campo Grande, estes projetos de lei já estariam sendo definidos.

Após a divulgação da possibilidade pela imprensa estadual em Campo Grande, Chapadão do Sul e Paranaíba, a aceitação foi imediata por conta da população. Em mensagens nas redes sociais, pais demonstraram vontade de terem seus filhos matriculados na possível instituição que venha receber a parceira. Alunos e professores também manifestaram desejo de estarem na instituição.


Leonardo Guimarães