Soninho

Academia Americana de Medicina do Sono afirma: Dormir é essencial para a saúde!

Período de descanso é fundamental para o bem-estar de todo ser humano

23/06/2021 09:02


De acordo com a Academia Americana de Medicina do Sono (AASM), dormir é uma necessidade biológica essencial para a saúde. O período de descanso é fundamental para o bem-estar de crianças, adolescentes e adultos e requer boa qualidade, através de tempo apropriado, regularidade e ausência de distúrbios do sono.

“Sono saudável é tão importante quanto nutrição adequada e exercícios regulares, fundamental para nosso desempenho e segurança”, disse o presidente da AASM, Dr. Kannan Ramar. Por conta disso, especialistas da área pediram que educadores, profissionais de saúde e agências governamentais priorizem programas com foco na saúde do sono.

Logo, deve-se promover esforços e cuidados de longo prazo para aumentar a consciência do valor do sono na educação, prática clínica, internação e em local de trabalho. A posição da AASM foi endossada por mais de 25 organizações médicas, científicas, redes de apoio de pacientes e de segurança, e tem como foco as seguintes conclusões:

A educação do sono deve ter um lugar de destaque nos ensinos fundamental e médio, em universidades de medicina e em programas educacionais para outros profissionais de saúde.

Em consultas com pacientes, médicos devem perguntar rotineiramente sobre os hábitos e sintomas de distúrbios do sono; hospitais e instalações de cuidados prolongados devem otimizar condições para favorecer um sono de qualidade.

O sono saudável deve ser alvo de intervenções de saúde pública e locais de trabalho para melhorar os resultados relacionados à saúde; comportamentos que ajudam as pessoas a obter um sono saudável devem ser ativamente promovidos

Mais pesquisas sobre sono e ritmo circadiano são necessárias para elucidar ainda mais sua importância para a saúde pública; e sobre os perigos de distúrbios, como apneia obstrutiva e insônia.

Além da esfera individual, eles apontam que sono insuficiente e distúrbios do sono não tratados são prejudiciais para a segurança pública de toda a população. Segundo os autores, um quadro crônico desses problemas aumenta os riscos de doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, mas também acidentes de trabalho e colisões com veículos motorizados.

Além disso, distúrbios como insônia geralmente ocorrem com outros problemas mentais e de humor, como depressão e ansiedade. Com base em dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças e do Gabinete de Saúde Materno-Infantil dos Estados Unidos, a publicação mostrou que 34,1% das crianças, 74,6% dos estudantes do ensino médio e 32,5% dos adultos no país não conseguem dormir o suficiente. (informações Tecmundo)


Redação