ANTECIPAÇÃO

Aposentados e pensionistas começam a receber 2ª parcela do 13º na quinta-feira

Pagamento é para segurados com dígito do benefício final 1 e que recebem até um salário mínimo

23/06/2021 15:00


O governo Federal começa a pagar a 2ª parcela do 13º salário para os aposentados e pensionistas do INSS nesta quinta-feira (24). Os segurados com final do benefício terminado em “1”, que recebem até um salário mínimo (R$ 1.100) serão os primeiros contemplados. O 13º salário é pago juntamente com a folha mensal.

Para segurados com o dígito final 2, do benefício do INSS, o pagamento da 2ª parcela será no dia 25 de junho. Dia 28, receberão os beneficiários com o dígito final 3. No dia 29 de junho, beneficiários com dígito final 4 e no dia 30 de junho, beneficiários com o dígito do benefício final 5 receberão o benefício.

Para os dígitos finais, 6, 7, 8, 9 e 0 o pagamento será feito a partir de julho, junto dos aposentados e pensionistas que recebem acima de um salário mínimo.

Conhecido como abono natalino, o 13º salário do INSS costuma ser pago entre os meses de agosto e novembro, entretanto, em decorrência da pandemia da Covid-19, o governo Federal realizou a antecipação para os meses de maio (primeira parcela) e junho (segunda parcela). Com a liberação das duas parcelas do 13º salário do INSS, o governo Federal prevê a injeção de mais de R$ 52 bilhões na economia. Em declaração, governo diz que, a antecipação do 13º salário não impacta no orçamento federal, tendo em vista que o abono já estava previsto e é pago anualmente.

A segunda parcela do 13º salário do INSS possui desconto do Imposto de Renda em alguns casos, como os segurados com até 64 anos, com renda superior a R$ 1.903,98 e beneficiários com 65 anos, que tenham renda superior a R$ 3.807,96. 

Podem receber o 13º salário do INSS, os aposentados, pensionistas e beneficiários do auxílio-doença, auxílio-acidente e auxílio reclusão. Entretanto, os benefícios sociais pagos pelo instituto, como o (BPC (Benefício de Prestação Continuada) e o RMV (Renda Mensal Vitalícia), não possuem direito a parcela extra natalina.

Confira a reportagem:


Daiana Oliveira