Paranaíba

Prefeito em exercício diz que vetará reajuste salarial de classe política em Paranaíba

Projeto aprovado por vereadores concede reajuste salarial de 31,17% a prefeito, vice-prefeito, secretários do município e aos próprios vereadores

18/04/2017 12:30


O prefeito em exercício de Paranaíba (MS) Cesinha Leal (PSB) disse que vetará o reajuste salarial de prefeito, vice-prefeito, secretários do município e vereadores, aprovado pela Câmara Municipal na sessão da última segunda-feira (17).

Em entrevista ao Jornal do Povo - que vai ao AR de segunda a sexta na Rádio Cultura FM Paranaíba 106.3MHz, às 11h - Cesinha se posicionou de forma contrária ao projeto e disse que não sabia que haveria votação. “Eu sou contra esse reajuste nesse momento. Reajuste salarial é justo para qualquer categoria, mas, nesse caso não é o momento. Cada secretário do município, cada agente político entrou no cargo sabendo quanto ganharia, e um salário de 6 ou 7 mil reais, na realidade de Paranaíba, está muito bom. Eu, como prefeito em exercício, vou vetar o reajuste, e espero e acredito que o prefeito Ronaldo Miziara, que está em viagem, pense da mesma forma”, resumiu Cesinha.

Com o veto, o projeto retorna à Câmara que, em sessão, pode derrubar o veto e restabelecer a validade dos reajustes. 

Perguntando sobre essa possível situação, Cesinha fez um apelo aos vereadores. “Eu peço que os vereadores, os quais eu admiro e tenho um bom relacionamento, repensem esse projeto e não derrubem o veto. Nesse momento de crise, Paranaíba precisa que mostremos resultados, que trabalhemos juntos pela população, por emprego, por melhorias.”, disse o prefeito em exercício.

Na ocasião, o projeto de autoria do vereador Andrew Robalinho (PMDB) líder do prefeito na Câmara, que foi votado em caráter de urgência e aprovado pela maioria, recebendo como único voto contrário o voto do vereador do PR, Carlos Renato Rios (Corujinha), concede aumento salarial de 31,17% aos “Agente Políticos” do município. 

Com o reajuste, o salário do prefeito passa de R$ 17.990 para R$ 23.420; o do vice de R$ 7.126 para R$ 9.276; os salários dos secretários passam de R$ 6.990 para R$ 9.100 e vereadores que recebiam R$ 6.012 passarão a receber R$ 7.832 além de diárias e ajudas de custo; se mantida a aprovação, valores entram em vigor já em 2017.

A aprovação do projeto gerou revolta nas redes sociais, onde paranaibenses comentam que "enquanto a maioria das categorias teve aumento de 7%, a classe política de Paranaíba teve 31.17%, em um momento de reajuste previdencial e corte de gastos para o trabalhador", dizem internautas.


Leonardo Guimarães