POLÍCIA

SIG e Serviço de Inteligência da PM elucidam duplo homicídio do Santa Rita

O principal suspeito do crime morreu em troca de tiros com os policiais, todos os envolvidos serão interrogados

Por Celso Daniel
24/06/2017 • 11h29
Compartilhar

Uma rápida resposta para a sociedade em elucidar o violento homicídio do casal de idosos, José Rodrigues Dias de 66 e Naide Carrilho Dias de 62 anos foi dada pela polícia de Três Lagoas. Uma ação conjunta entre o Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil e do Serviço de Inteligência da Polícia Militar resultou na prisão de duas pessoas e em uma troca de tiros com a polícia, o principal suspeito do crime não resistiu e morreu.

A investigação do caso começou logo depois que Alex Martins Teixeira de 23 anos, por volta das 20h10 da quarta (21), invadiu a casa das vítimas, localizada na Rua 13 de junho no Bairro Santa Rita e sem dar chances de defesa, começou a disparar contra os idosos que estavam jantando na sala e assistindo televisão. José Rodrigues foi atingido por pelo menos seis disparos e Naide Carrilho com um tiro na altura do peito. As vítimas foram socorridas pelo filho do casal e vizinhos, mas não resistiram e morreram minutos depois no hospital. Após atirar contra o casal, Alex Martins, que utilizou uma pistola calibre 380, fugiu na garupa de uma motocicleta. Ele recebeu a ajuda de um comparsa.

A Polícia Militar foi chamada e equipes da Rotai e Rádio Patrulha realizaram diligências, mas o suspeito não foi encontrado. A perícia, comandada pela delegada Letícia Móbis realizou os procedimentos e colheu as informações de testemunhas e a investigação teve início.

TROCA DE TIROS

Já na manhã desta quinta (22), policiais do Serviço de Inteligência da Polícia Militar e do Setor de Investigação (SIG) da Polícia Civil realizaram uma ação conjunta, cruzando informações que poderiam levar a prisão de Alex Martins Teixeira.  Os policiais souberam que o suspeito poderia estar escondido em uma área rural conhecida como “Pontal do Faia”, pois familiares de Alex Martins moram em um assentamento, a 40 quilômetros de Três Lagoas.

As equipes policiais foram até o local e localizaram a irmã do suspeito, o cunhado e outro irmão de Alex Martins. Em conversa com os irmãos do suspeito, eles disseram aos policias que não sabiam do paradeiro de Alex Martins, mas o marido da mulher – cunhado de Alex – revelou aos policiais que na noite do crime, por volta das 21h30, Alex Martins chegou ao assentamento e teria sido levado por Humberto Luiz Guilherme, que também é cunhado suspeito.  O morador da fazenda ainda disse que Alex Martins ao perceber a chegada dos policiais no local, fugiu para o meio da vegetação e ficou escondido. Com isso, uma busca na mata foi feita, mas Alex Martins não foi encontrado.

As equipes policiais do Serviço de Inteligência e SIG retornaram então para a delegacia em Três Lagoas, mas como os três envolvidos que moram no assentamento foram detidos e conduzidos a delegacia, dois policiais aguardaram na sede da fazenda, pois apenas dois veículos foram utilizados e as equipes policiais precisaram se dividir. Não foi solicitado o apoio de outra viatura, porque no local não existe sinal de

celular e tampouco de alcance da frequência do rádio utilizado pelos policiais.
Quando os policiais chegaram à sede do SIG em Três Lagoas, as equipes policiais se dividiram novamente. O SIG realizou diligências para localizar Humberto Luiz – que levou Alex Martins até a fazenda – e a parte da equipe do Serviço de Inteligência da PM voltou para a fazenda para buscar os dois policiais.

Quando os policiais chegaram à fazenda foram informados pelos dois Pm´s que naquele intervalo de tempo em que os dois ficaram na fazenda, Alex Martins retornou a casa e se deparou com os policiais.

Alex estava armado com um revólver calibre 38 e apontou contra os policiais e começou a atirar para tentar fugir, mas devido ao perigo eminente, os policiais revidaram e conseguiram alvejar Alex Martins. O suspeito ainda estava com vida e foi socorrido pela equipe militar até o hospital, mas ao dar entrada na unidade de saúde ele veio a óbito.

MAIS PRISÕES

Nas diligências feitas pelos policiais do SIG, Humberto Martins foi localizado em um apartamento no Residencial Novo Oeste. Ele confessou que levou Alex Martins para a fazenda na noite do crime e revelou ainda quem teria conduzido a motocicleta na noite do duplo homicídio.

Yuri Greiton de Oliveira de Melo foi apontado como sendo o “piloto de fuga” na noite do crime. Ele foi localizado em uma residência no Bairro Jardim Imperial e também foi preso. Yuri Greiton disse aos policias que não sabia que Alex Martins iria assassinar os idosos e deu carona para o suspeito porque ficou com medo de ser morto por Alex Martins.

Na delegacia, Yuri Greiton relatou que levou Alex Martins até a casa dos idosos e que a pedido de Alex Martins, ficou esperando na esquina. Após ouvir os disparos, ele tentou fugir, mas ficou com medo de ser morto posteriormente por Alex Martins e esperou o suspeito para dar fuga do local do crime.

Yuri Greiton contou que levou Alex Martins até o Residencial Novo Oeste, na casa de Humberto Luiz e deixou a motocicleta – de propriedade de Yuri – com os dois.

Já Humberto Luiz contou a polícia que após Yuri deixar Alex Martins no apartamento, o suspeito exigiu que o cunhado levasse ele até a fazenda. Humberto Luiz conduziu a moto com Alex Martins na garupa e depois de deixa-lo no local, ele retornou para casa no Novo Oeste.

Yuri Greiton e Humberto Luiz não souberam dizer por que não procuraram a polícia após saber da morte dos idosos e de que Alex Martins ser o autor. A investigação continua, pois a polícia não encontrou a arma utilizada no crime. 

Todos os envolvidos serão interrogados para saber qual o envolvimento de cada um deles no caso. O duplo homicídio de José Rodrigues e Naide Carrilho causou revolta e comoção na cidade de Três Lagoas, pois o motivo foi considerado fútil e o casal era bastante conhecido no bairro Santa Rita, onde residiam há muitos anos.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Polícia

VEJA MAIS