RÁDIOS
Três Lagoas, 20 de abril

Cabeleireira leva moto 0km de reality show

Michele ficou 61 horas na prova e ganhou o prêmio no dia de seu aniversário

Por Valdecir Cremon
24/12/2017 • 07h00
Compartilhar

A cabeleireira Michele da Silva, mãe de quatro filhos, é a nova ganhadora de um reality show promovido pelo Grupo RCN de Comunicação e a empresa Honda Mototrês, revendedora de veículos da marca na cidade, após permanecer quase 62 horas de competição com outros 14 pessoas. O reality foi encerrado às 8h35 depois de Richard Nascimento de Oliveira desistir da prova.

Os dois restaram entre 15 competidores classificados por meio de cupons distribuídos por empresas parceiras, por compartilhamento de fanpages na internet e vídeos.

Richard tocou os pés no chão às 8h34 e foi desclassificado. O regulamento do reality impede que competidores desçam da moto fora de períodos de paradas para ir ao banheiro, beber água e comer. Michele, apesar do cansaço, se manteve sobre a moto.

JPNEWS: CAFÉ COM NEGÓCIOS 04 - DE 19/04/2024 A 14/05/2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Estou cansada demais, mas feliz por ter conquistado o prêmio exatamente no dia de meu aniversário”, disse. A ganhadora completou 33 anos nesta sexta-feira. No recebimento do prêmio estava ao lado do marido Robson e dos filhos - todos muito emocionados.

O gerente comercial da Honda Mototrês, Clodoaldo Araújo, e o diretor jurídico do Grupo RCN, Lucas Congro, entregaram a moto a ela. O prêmio é avaliado em R$ 14 mil.

Michele é a terceira mulher a vencer o reality. A primeira foi a camareira Lucimar Brito, dona do recorde de 64 horas seguidas sobre a moto, em 2015. No ano passado, a ganhadora foi a vendedora Lorena Figueiredo. No primeiro reality, em 2014, o vencedor foi o professor Júlio César Moreira, conhecido por Maromba.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas