Três Lagoas, 19 de setembro
32º C
(67) 99229-0519

Decoração de ruas tem quase 10 km

Prefeitura de Três Lagoas economiza R$ 72 mil na instalação de luminárias no centro da cidade; em 2016, gasto foi de R$ 235 mil

Por Tatiane Simon
16/12/2017 • 08h02
Compartilhar

Quem passa pelas ruas do centro de Três Lagoas testemunha o clima natalino desde o início da semana, com a instalação de luminárias e decoração. Lojas, que atendem em horário estendido até as 22h, sentiram o aumento do número de consumidores nas ruas, confirmando projeção de aumento nas vendas de até 6% em comparação ao ano passado. 

Outra comparação é quanto ao gasto da prefeitura da cidade - ruas, avenidas e a praça Senador Ramez Tebet - com a decoração deste ano. Em 2016, a iluminação custou R$ 235 mil e foi montada por uma empresa particular. Agora, o custo ficou em R$ 163 mil e toda a mão de obra e materiais pertencem pela primeira vez ao município. 

A decoração inclui a Casa do Papai Noel, montada na “Cidade do Natal”; a árvore de Natal com 20 metros de altura, no cruzamento das avenidas Rosário Congro e Antônio Trajano, além de iluminação especial com 9,3 quilômetros de extensão. A novidade neste ano foi a montagem de um presépio na praça central. 
De acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, a decoração ficará montada até o dia 6 de janeiro de 2018.

JPNEWS: CONQUISTA SEGUROS BONIFICAÇÃO CONTRATO 37546
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

RÉVEILLON

O Réveillon para comemorar a chegada de 2018 em Três Lagoas será no balneário municipal, com entrada grátis, dia 31. A prefeitura confirmou que haverá queima de fogos de artifício.
Também haverá show do cantor três-lagoense Marquinhos Guerra, contratado pela prefeitura por R$ 15,5 mil. Marquinhos é conhecido em todo o país e já fez participações em carnavais famosos, como o de Salvador (BA).

A escolha do balneário foi feita em uma enquete, com 44,3% de aprovação.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS