RÁDIOS
Três Lagoas, 19 de abril

Dengue pode causar graves sequelas neurológicas

O sorotipo 2, o mais comum em Três Lagoas, é um dos principais causadores das lesões no cérebro

Por Any Galvão
29/02/2024 • 11h50
Compartilhar

Com o aumento do índice da dengue em Três Lagoas, surge uma preocupação maior e pouco conhecida, a doença pode desencadear graves complicações neurológicas. O sorotipo 2, o mais comum no munícipio, é um dos principais causadores dessas sequelas, segundo especialistas.

Os sintomas clássicos da dengue, como dores de cabeça, dores nas articulações, manchas na pele, falta de apetite, cansaço, vômitos, náuseas e febre alta, são bem conhecidos. No entanto, alguns casos podem evoluir para formas mais graves da doença, geralmente entre quatro a cinco dias após a infecção, quando o sistema imunológico reage de forma expressiva ao vírus.

Se não tratada, a dengue pode levar à morte, mas também pode deixar sequelas graves. O neurologista Eduardo Abib explica que o vírus ataca o sistema nervoso e pode chegar até o cérebro, prejudicando diversas funções. “As principais sequelas neurológicas causadas podem ser relacionadas a deficiência motora, como dificuldade ao mexer o braço ou perna, além de cognitiva, intelectual, dificuldade visual ou na fala.”

JPNEWS: BANNER RCN NOTICIAS PATROCINADO ATUALIZADO 27.03.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estudos da Universidade Federal do Rio de Janeiro indicam que entre 1 a 5% das infecções por dengue podem resultar em sequelas neurológicas, principalmente quando causadas pelos sorotipos 2 e 3, os mais comuns no estado de Mato Grosso do Sul.

O vírus da dengue tem a capacidade de se infiltrar nas células e se reproduzir, uma habilidade conhecida como tropismo. A inflamação dos vasos cerebrais também facilita o desenvolvimento de sequelas neurológicas por esses agentes infecciosos.

Algumas lesões causadas pela ação desses micro-organismos podem não deixar sequelas, enquanto outras evoluem para doenças graves, como acidente vascular cerebral (AVC), encefalite, meningite e síndrome de Guillain-Barré, uma condição autoimune. Também é comum que pessoas infectadas apresentem confusão mental, alterações na percepção, convulsões e até mesmo coma.

A principal forma de combater o mosquito Aedes aegypti, o principal transmissor do vírus da dengue, é mantendo os ambientes limpos e evitando o acúmulo de água parada. A vacina contra a doença já está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) para crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, e também pode ser encontrada na rede privada de saúde, sendo recomendada para pessoas entre 4 e 60 anos de idade.

Confira a matéria abaixo:

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas