RÁDIOS
Três Lagoas, 22 de junho

Em MS, pelo menos 537 mil trabalhadores têm direito ao saque do FGTS

Consulta pode ser feita no site da Caixa ou pelo aplicativo no celular

Por Sérgio Colacino
17/02/2017 • 16h24
Compartilhar

Dos mais de 30 milhões de trabalhadores brasileiros que têm direito ao saque do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço), 537 mil são de Mato Grosso do Sul. De acordo com a Caixa Econômica Federal, devem ser sacados R$ 564 milhões no Estado. Para atender os trabalhadores e tirar dúvidas, agências da Caixa abriram duas horas mais cedo nesta sexta-feira (17) e também terão atendimento no sábado (18), das 9h às 15h.

A consulta do saldo pode ser feita informando o número do PIS e a senha, no site da Caixa. A senha pode ser cadastrada na hora e também é possível saber pelo aplicativo para celular do banco. O número do PIS é o mesmo que consta no Cartão Cidadão. Quem não tem o cartão, pode encontrar o número na carteira de trabalho.

Os saques começam no dia 10 de março, para nascidos em janeiro e fevereiro. Pessoas nascidas em março, abril e maio poderão sacar em abril. Quem faz aniversário em junho, julho e agosto, poderá sacar em maio. Nascidos em setembro, outubro e novembro poderão fazer o saque em junho. Em julho, deverão sacar os nascidos em dezembro.

Mais da metade dos trabalhadores têm, no máximo, R$ 500 para sacar, segundo o governo. outros 24% têm saldo entre R$ 500 e R$ 1.500.// Os dois grupos representam 80% do total de pessoas com direito a sacar o dinheiro. Os demais têm mais de R$ 1.500 a receber.

Antes, só tinha direito a sacar o FGTS de uma conta inativa quem estivesse desempregado por, no mínimo, três anos ininterruptos. Agora, a pessoa que pediu demissão ou foi demitida por justa causa até 31 de dezembro de 2015 vai poder sacar o saldo que ficou na conta.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas