Três Lagoas, 18 de setembro
29º C
(67) 99229-0519

Motorista de lotação é morto com tiro de chumbinho; atirador fica em liberdade

Atirador disse a testemunhas do crime que fez "uma brincadeira" com a vítima

Por Valdecir Cremon
13/12/2017 • 17h22
Compartilhar

Um disparo acidental de uma espingarda de chumbinho pode ter sido a causa da morte do motorista de lotação Agnaldo Ferraz de Almeida, de 51 anos, na manhã de hoje (13), no bairro Vila Nova, em Três Lagoas. A possibilidade é admitida na investigação policial, com base em dados de testemunhas.

O autor do disparo é, segundo a polícia, amigo do motorista, que teria "feito uma brincadeira", sem saber que a arma estava carregada. O suspeito Edmilson Lossavaro, comerciante de 48 anos, foi levado ao Hospital Auxiliadora em estado de choque para ser medicado.

Agnaldo de Almeida recebeu o disparo no peito, foi socorrido pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas morreu. Ele pode ter sido atingido no coração.

JPNEWS: CONQUISTA SEGUROS BONIFICAÇÃO CONTRATO 37546
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No início da tarde, Lossavaro saiu do hospital, se apresentou à polícia acompanhado por um advogado e foi liberado para responder ao inquérito, basicamente porque a espingarda usada no crime não é classificada como arma de fogo. A espingarda de calibre 5,5 mm, de uso permitido, foi apreendida.

O comerciante foi indiciado por homicídio culposo, sem intenção de matar. O delegado Édson Luís Ruiz Ubeda, da 1ª Delegacia de Polícia, disse que avalia informações de uma testemunha, cunhado do motorista, de que o comerciante teria preparado o tiro pouco antes de atrair Agnaldo de Almeida para o local do crime.

Admilson disse que o disparo ocorreu por acidente, no momento em que passava a arma ao motorista por uma janela.

O motorista trabalhava com o transporte de estudantes, era casado e tinha dois filhos. (Colaborou André Barbosa/JPNews)

 

*Reportagem atualizada às 17h22 (MS) para acréscimo de informações.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS