RÁDIOS
Três Lagoas, 19 de maio

População se mobiliza para ajudar catarinenses

Por falta de espaço, Defesa Civil de Santa Catarina solicita suspensão de envio de donativos

Por Redação
05/12/2008 • 07h00
Compartilhar
TODAS AS PRAÇAS: BOX INTERNA NESCAU ATÉ 31.12.24

A mobilização em prol do auxilio às vítimas da tragédia de Santa Catarina transcorre de forma incessante em Três Lagoas. Segundo o Inspetor Geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Sílvio Costa, já foram arrecadadas centenas de. Na manhã de hoje (5), mais um carregamento de doações será levado para Campo Grande, e posteriormente enviado aos flagelados.

Dentre os donativos recolhidos no Município e que serão encaminhados pela PRF estão os suplementos reunidos por Gilberto de Oliveira Alves, integrante do grupo OVISA, que, junto com mais 19 pessoas, organiza o recolhimento das doações de vizinhos e comerciantes da Cidade.

A mobilização Nacional está intensa desde a tragédia. Treze dias após, a Defesa Civil de Santa Catarina, em ofício, comunicou o pedido de cessar momentaneamente o envio dos donativos. Os centros de captação e distribuição estão saturados e, segundo a Defesa Civil, por enquanto, não comportam mais os donativos que chegam a todo o momento.

Santa Catarina já recebeu mais de dois milhões de quilos de alimentos, cerca de 1,5 milhão de litros de água, mais de 100 toneladas de roupas, brinquedos e materiais de higiene pessoal, entre outros itens. O saldo de doações em dinheiro nas nove contas bancárias, conforme extratos, alcançou a cifra de R$ 16,2 milhões. Até de terça-feira (2) Mato Grosso do Sul já havia arrecadado 100 toneladas de donativos.

“É indescritível saber que estamos podendo colaborar no auxílio, mesmo que mínimo, a pessoas que estão necessitando de ajuda urgente”, cometa Alves. Para participar das doações Gilberto recolhe os suplementos em seu estabelecimento, localizado na avenida Eloy Chaves, 910.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas