RÁDIOS
Três Lagoas, 27 de maio

Rejeição à vacina contra Covid-19 chega a 699 crianças e adolescentes em Três Lagoas

Crianças de até cinco anos têm maior número de recusas, totalizando 15% de alunos do ensino infantil

Por Emerson William
24/04/2024 • 11h10
Compartilhar

Dados da Secretaria Municipal de Saúde apontam que, ao menos, 699 crianças e adolescentes não foram autorizados a se vacinarem contra a Covid-19, em Três Lagoas, no ano de 2024. A faixa etária de até cinco anos de idade tem maior número de recusas, totalizando 552 crianças desprotegidas, o que representa 15% dos estudantes do ensino infantil.

Desde 2022, a Secretaria Municipal de Educação solicita aos pais e responsáveis a entrega da carteira de vacinação durante o ato da matrícula na rede pública de ensino. No entanto, o imunizante contra o vírus da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), tem enfrentado a resistência resistência de famílias. A secretaria afirmou que não deve deixar de matricular estudantes não vacinados.

O imunizante foi incluído no Programa Nacional de Imunizações, em 2024, e passou a fazer parte do calendário essencial para crianças e adolescentes, seguindo orientações do Ministério da Saúde. Segundo a coordenadora da Central de Imunizações, Humberta Azambuja, a vacina não deve ser desvalorizada.

JPNEWS: BANNER  CASA DOS SONHOS CONTR. 28807 01.02 A 31.10.2024 ATUAL. 05.04.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Não tivemos reações em crianças contra a Covid-19 com a vacina Pfizer, nos bebês e nem na questão pediatra. Então, estamos muito tranquilos em relação aos eventos. É uma vacina segura, que foi estudada e vem sendo aplicada, e quando terminada tem uma eficácia muito boa”, explicou a coordenadora da Central de Imunizações.

A secretária de educação, Ângela Brito, afirmou que trabalha em conjunto com a saúde do município para reduzir este número. A titular da pasta pontua que gestores e profissionais da educação estão recebendo treinamento para identificar possíveis surtos causados por contaminações que podem ocorrer dentro das unidades.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde classificou o número como preocupante e apontou que os principais motivos pela alta nas recusas são a "desinformação, contestação e abdicação" ao avanço da ciência. A pasta também salientou que a atitude pode "acarretar consequências graves, como o aumento de casos e a pressão sobre os serviços hospitalares", e que, "é crucial redobrar os esforços na educação em saúde e disseminação de informações confiáveis sobre a vacina".

A vacina contra Covid-19 está disponível em todas as unidades de saúde de Três Lagoas. Crianças de até 4 anos precisam ter três doses para garantir o esquema completo, validando a eficácia global de 92,6%. Entre 5 e 11 anos, são duas doses e acima dos 12 anos, a vacina bivalente.

Confira na reportagem abaixo: 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas