Três Lagoas, 22 de setembro
28º C
(67) 99229-0519

Telhado de prédio público de Três Lagoas despenca e causa prejuízos

Acidente ocorreu no domingo à noite e perícia ainda calcula danos

Por Tatiane Simon
25/09/2017 • 11h17
Compartilhar

Parte do telhado do Almoxarifado Municipal de Três Lagoas cedeu na noite deste domingo (24) e a Secretaria Municipal de Administração está, desde o início da manhã desta segunda-feira (25), removendo o material do imóvel. O prédio está localizado na rua Abraão de Matar, nº 161, no bairro Santa Luzia.

Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura, o motivo do acidente se deve à presença de cupins e infiltração de água que apodreceu a estrutura de madeira. A parte que cedeu é onde ficam guardados os materiais elétricos e hidráulicos, porém a pasta ainda não conseguiu dimensionar o prejuízo. Por conta do dia e horário, nenhum funcionário ficou ferido. 

O prédio está interditado pela Defesa Civil e, após fazer a perícia e o devido escoramento do restante do telhado, que também está condenado, os materiais permanentes serão removidos e levados para um novo local que ainda está sendo estudado pela Administração Municipal, informou o secretário da pasta, Gilmar Tabone, e complementa falando que, apesar de alguns prejuízos, o “material permanente da saúde, que está em uma sala ao lado, ficou a salvo de danos, sendo que esses, assim com outros materiais, serão imediatamente removidos”, explica.

Ao lado deste galpão fica a Farmácia Central, local onde é guardada boa parte dos remédios que atendem e rede municipal de Saúde. “Estamos estudando a necessidade de remover esse material também, porém isso será definido após a realização da perícia, haja vista que há outras estruturas desse mesmo galpão comprometidas pela infiltração de água e ação dos cupins”, enfatiza Tabone.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS