Três Lagoas, 20 de setembro
34º C
(67) 99229-0519

Número de assassinatos chega a 23 só neste ano em Três Lagoas

Levantamento de homicídios foi feito pela Polícia Civil, entre janeiro e dezembro

Por Kelly Martins
14/12/2017 • 06h45
Compartilhar

Ao menos 23 pessoas foram assassinadas em Três Lagoas, somente neste ano, segundo dados da Polícia Civil. Os homicídios ocorreram entre janeiro e dezembro, e a média de assassinatos na cidade, que possui atualmente 115 mil habitantes, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é de duas mortes por mês.

Um caso que chamou a atenção, nesta quarta-feira (13), foi sobre a morte de um motorista que teria sido atingido por um disparo acidental feito por um colega com uma espingarda de chumbinho. No entanto, segundo a Delegacia Regional, trata-se até então de homicídio culposo (quando não há intenção de matar) e, por isso, não foi contabilizado na estatística.

Na terça-feira (12), Sidney Martins de Oliveira, de 25 anos, foi morto a tiros perto de uma padaria, na rua José Lopes Barbosa, bairro Nova Americana. Ele foi encontrado sem vida, quando uma equipe da Polícia Militar chegou ao local. A mãe da vítima contou à polícia que o filho estava tomando banho e um rapaz o chamou para um passeio. Pouco depois, a mulher foi informada por vizinhos que o suspeito teria assassinado seu filho.

Alef Hugo Faustino foi preso na tarde de quarta e confessou à polícia ter cometido o crime. Ele alega ter sido ameaçado pela vítima antes do assassinato. A Delegacia Regional de Três Lagoas abriu inquérito para investigar os outros homicídios e 12 já foram concluídos, com autoria esclarecida.

O dado tem deixado a população assustada e gera alerta às autoridades de segurança, que buscam alternativas para combater a criminalidade. Outro dado assustador é que a quantidade de assassinatos é superior a todo o ano de 2016 que registrou 18 homicídios. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS