RÁDIOS
Campo Grande, 17 de agosto

Setor industrial vê com preocupação aumento da Selic

Esta é uma das principais ferramentas da política monetária usada pelo BC para controlar a inflação

Por Bruno Nascimento/Hudson Garcia
05/08/2022 • 13h52
Compartilhar

A economia brasileira entra em alerta após a divulgação, nesta semana, da elevação da taxa básica de juros (Selic) para 13,75% ao ano, após decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC).

De acordo com economistas o cenário de alta na Selic compromete a capacidade de investimento das empresas privadas e traz riscos de inadimplência aos financiamentos já contratados.

O colunista da Rádio CBN Campo Grande Hudson Garcia analisou a situação, "por um lado o Banco Central tenta frear a inflação e o consumo , entretanto,  por outro lado  a avaliação do setor industrial é negativa. A indústria é uma fabricante, ela oferta produtos ao mercado e depende do consumo."

A elevação em 0,50 ponto percentual da taxa Selic veio em linha com o esperado pelo mercado e representa o 12º aumento consecutivo na taxa de juros, alcançando o maior patamar desde novembro de 2016.

 Veja na íntegra a analise no link abaixo:

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande