Campo Grande, 26 de outubro
23º C
(67) 99229-0519

Manifestantes vão às ruas pedir fim da violência na fronteira

Chacina deixou quatro pessoas mortas no último sábado no Paraguai

Por Ingrid Rocha
12/10/2021 • 11h50
Compartilhar

Na manhã desta terça-feira (12), dezenas de manifestantes foram às ruas de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, pedir o fim da violência na fronteira, após a chacina do último sábado (09).

Quatro pessoas foram mortas, entre elas, a filha do governador de departamento de Amambay, Haylee Carolina Acevedo Yunis e duas brasileiras, Kaline de Oliveira, 22 anos, de Dourados (MS) e Rhannye Jamilly Borges, de Cáceres (MT). O alvo seria Osmar Vicente, 32 anos, conhecido como “Bebeto”.

Pela manhã desta terça-feira foi divulgado que uma outra jovem, também brasileira, teria falecido no hospital, mas segundo a ABC TV do Paraguai, houve um erro de divulgação das informações e a vítima segue internada. Ainda de acordo com o site, a jovem não tem ligação com outras vítimas, ela estaria passando pelo local no momento dos disparos e acabou sendo atingida.

CBN: BANNER CASA DAS CORES OUTUBRO - DE 01 A 31
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Seis brasileiros suspeitos de participarem da chacina continuam presos em Assunção, no Paraguai. Foi divulgado hoje que eles podem ser expulsos do país vizinho.

 

Outros crimes na região

No fim da tarde de sexta-feira (08), do lado brasileiro da fronteira foi também assassinado o vereador Farid Afif enquanto andava de bicicleta pelas ruas de Ponta Porã. A polícia ainda não divulgou se algum suspeito por este crime foi preso, mas acredita que o político era monitorado pelos criminosos através das redes sociais.

No final de setembro, um ex-vereador de Ponta Porã e um candidato a vereador em Pedro Juan Caballero também foram mortos à tiros na região de fronteira.

A polícia ainda não encontrou evidências que liguem a chacina do final de semana com os assassinatos de políticos na fronteira.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande