MS

Mato Grosso do Sul fecha setembro com saldo negativo de emprego formal

Estado registrou fechamento de 2.645 postos de trabalho no mês

Por Redação
24/10/2018 • 15h51
Compartilhar

Mato Grosso do Sul encerrou o mês de setembro com saldo negativo de 2.645 empregos formais, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta segunda-feira (22). O número representa uma redução de -0,51 %, em relação a agosto. Foram 18.102 admissões e 20.747 desligamentos no período.

O setor que mais contribuiu para este resultado foi o de serviços, com o fechamento de 3.722 postos de trabalho. Por outro lado, a Indústria da Transformação abriu 490 novas vagas, o comércio, 349 novos postos e a Agropecuária, 150 novos empregos.

Desempenho nacional

O emprego formal no país apresentou crescimento durante o mês de setembro, de acordo com o Caged. O saldo positivo de 137.336 novas vagas representou um acréscimo de 0,36%, em relação a agosto. 

Foram 1.234.591 admissões e 1.097.255 desligamentos no último mês em todo o país. O estoque de empregos no período alcançou 38.507.474 vínculos. Houve alta de postos de trabalho em 26 das 27 unidades federativas.

O Caged aponta que o saldo de janeiro a setembro teve um acréscimo de 719.089 vagas, o que representa alta de 1,9%. Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 459.217 postos – variação positiva de 1,2%.  

O crescimento foi registrado em sete dos oito setores econômicos. Foram 60.961 novos postos apenas em Serviços, o setor de melhor desempenho em setembro.

O segundo melhor saldo ocorreu no setor da Indústria de Transformação, que fechou o mês com saldo positivo de 37.449 vagas. Comércio veio em seguida, com a criação de 26.685 postos.

Também tiveram saldos positivos Construção Civil (12.481 postos), Serviços Industriais de Utilidade Pública – Siup (1.091 postos), Administração Pública (954 postos) e Extrativa Mineral (403 postos).  Apenas o setor da Agropecuária apresentou queda (-2.688 postos). 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de

VEJA MAIS