RÁDIOS
Campo Grande, 30 de junho

Casos de covid sobem novamente em MS e Estado soma 28 mortes em uma semana

Ao todo, 4.090 pessoas tiveram seus exames para a doença confirmados com positivo, entrando para as estatísticas

Por Nyelder Rodrigues
14/06/2022 • 17h30
Compartilhar

A covid-19 volta a colocar as autoridades em saúde de Mato Grosso do Sul em alerta com mais um aumento verificado na semana, dessa vez acompanhando pelo crescimento de mortes. Se na semana passada o boletim da SES (Secretaria de Estado de Saúde) apontava 3.516 novos casos, o número agora bate novo recorde recente e chega a 4.090.

Quanto às mortes, foram 28 óbitos confirmados pela doença, uma média de quatro por dia. Na semana anterior, foram apenas seis - já na mesma semana do mês anterior, foram sete mortes e 1.314 novos caso da doença confirmados pelas autoridades locais.

Assim, a covid-19 chega ao total de 10.603 mortes em Mato Grosso do Sul e 542.248 exames positivos para o coronavírus. Atualmente, há 5.065 pessoas isoladas domiciliarmente, enquanto outras 36 estão hospitalizadas, 13 delas em UTI (Unidade de Tratamento Intensivo).

A maior ocupação hospitalar registrada é a de Campo Grande, com apenas 62%, longe dos níveis críticos verificados no pico da doença. Entre as vítimas que morreram, a maioria são de idosos e pessoas com comorbidades pré-existentes.

Contudo, na lista já começam a aparecer pessoas abaixo dos 40 anos - duas de 39 morreram, uma em Campo Grande e outra em Guia Lopes da Laguna. A terceira abaixo dessa faixa etária é uma menina de apenas nove anos, que tinha doença neurológica crônica e imunodeficiência.

REGIONALIZADOS

Dos 4.090 novos casos registrados no boletim divulgado semanalmente, sempre às terças, o município com maior incidência é Campo Grande, com 1.260, seguido por Dourados com 259, Três Lagoas com 247, Ponta Porã com 242, Coxim com 148 e Eldorado com 142.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande