RÁDIOS
Campo Grande, 27 de maio

Homem que matou e escondeu os corpos de esposa e enteada é condenado a 29 anos de prisão

Crime foi descoberto em novembro de 2021; corpos estavam há pelo menos 90 dias ocultados

Por Carlos Monfort
16/04/2024 • 08h00
Compartilhar

Pablino Gimenez Ledezma, de 55 anos, acusado de assassinar e ocultar os cadáveres da esposa e filha em Pedro Juan Caballero, foi condenado a 29 anos de prisão.

O filho, que também foi acusado de participação no crime, recebeu condenação de 10 anos pelo tribunal do júri.

O julgamento ocorreu segunda-feira (15), com o Tribunal de Sentença sendo composto pelas juízas Ana Graciela Aguirre Núñez, Marcelina Quintana de Acosta e Mirna Carolina Soto González, e terminou com a condenação do carpinteiro em um dos crimes de maior repercussão dos últimos anos na fronteira entre Ponta Porã e Pedro Juan Caballero.

CBN: BANNER KAMPAI 02 14.05 A 31.05.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante o julgamento oral foi possível verificar a materialização de ambos na morte de mãe e filha, conforme leitura da sentença.

Em novembro de 2021, os corpos sem vida e em avançado estado de decomposição, o de Patrocinia Romero Olmedo, 47 anos, e o de sua filha Noelia Giménez Romero, 20 anos, foram encontrados dentro da casa onde a família residia no assentamento Soberanía Nacional, no bairro Defensores, no Chaco.

Os corpos das mulheres estavam rígidos há cerca de três meses quando foram encontradas.

Dias antes da descoberta, familiares haviam divulgado publicamente o desaparecimento de Patrocínia e Noélia denunciando o caso a imprensa, não acreditando na versão de Pablino, que lhes contava que mãe e filha haviam viajado.

Pablino Giménez Ledezma, ao ser preso, afirmou ter cometido o crime por ordem divina.

CLIQUE AQUI e siga nosso canal de notícias no Whatssap.

Para sugerir pautas ou enviar vídeos e imagens, 
salve nosso número 67 9932 3500

 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande