Campo Grande, 27 de outubro
25º C
(67) 99229-0519

O Brasil vem enfrentando uma das piores crises econômicas mundial por conta da pandemia do coronavírus. Ainda assim, o cenário deve mudar nos próximos meses, e a retomada econômica pode gerar crescimento de 5% até o fim de 2021, afirmou Mateus Abrita, professor da UEMS.  Em entrevista à Rádio CBN campo grande nesta terça-feira (02), o economista e pesquisador da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, afirmou que o crescimento para o país será possível com a vacinação em massa.

 “A retomada econômica de modo sustentável só vai acontecer quando paramos de ignorar as questões de saúde, pois teremos o surgimento de novas cepas, e consequentemente, teremos que voltar a fechar o comércio. Com a vacinação em massa a gente consegue melhorar a confiança dos investidores. Se o empresário não vende, não vai querer investir. Não é à toa que os grandes países desenvolvidos estão na frente em relação à vacinação contra a covid-19”, afirmou.

Segundo o economista, no ano passado o país gastou bilhões de reais em insumos para a saúde pública. Dados do IBGE, revelam que o desemprego saltou para 14,6% no 3º trimestre de 2020 encerrado em setembro, afetando 14,1 milhões de brasileiros, com uma perda de 11,3 milhões de postos de trabalho em 12 meses e com mais da metade da população em idade para trabalhar sem ocupação.

“Quando você tem um desemprego maior, as pessoas diminuem o consumo e os empresários acabam vendendo menos e deixando de contratar funcionários. Isso gera um ciclo perverso na economia. Somente com a vacinação em massa a gente vai conseguir reestruturar esse modelo efetivamente, com o mercado de trabalho constante”, finalizou.  

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande