RÁDIOS
Campo Grande, 20 de maio

Vereadores freiam projeto e redução no passe de ônibus empaca na Câmara de Dourados

Projeto do executivo em regime de urgência não consegue apoio dos parlamentares e é retirado da pauta

Por Nyelder Rodrigues
03/05/2022 • 11h00
Compartilhar

Nem mesmo a visita do prefeito Alan Guedes (PP) à Câmara Municipal de Dourados durante o dia impediu que, à noite, os vereadores da segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul freassem o avanço do projeto proposto pela prefeitura para reduzir o preço da passagem de ônibus em 25 centavos, fazendo o valor cair de R$ 3,50 para R$ 3,25.

O serviço de transporte público local, ofertado pela Viação Dourados, também chamada de Medianeira, desde 2004, conta com 58 ônibus. A empresa fez cálculos e, em planilha de gastos, apresentou proposta para elevar a tarifa para R$ 5,25 neste ano, valor logo rechaçado pela prefeitura.

Assim, a equipe técnica da prefeitura elaborou uma forma de evitar esse aumento e ainda reduzir o valor da passagem em 25 centavos: o município iria repassar mensalmente R$ 380 mil para a Viação Dourados, ato esse que implicaria em subsídio anual de R$ 4,5 milhões.

RCN 67 TODAS AS PAGINAS: BANNER RCN EM AÇÃO MUSSAK DE 02.03 A 01.06.2022
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na segunda-feira (2), o prefeito foi à Câmara e protocolou o projeto, que foi votado ontem mesmo, à noite, quando ocorrem as sessões douradenses. Contudo, ao menos por ora, o texto foi barrado pelos vereadores e retirado de pauta para mais análises. Assim, a mudança que a prefeitura pretendia implantar já nesta semana, não poderá ser feita em curto período.

Conforme o projeto, o preço reduzido só poderia ser alterado a partir de fevereiro de 2023, mas, mesmo diante dessa prerrogativa, o vereador Elias Ishy (PT), que faz parte da oposição, avalia que o projeto é arriscado para as finanças públicas de Dourados.

"Da forma como está aqui nós podemos dar um subsídio sem passar por uma avaliação daqui a 10 meses pela Casa. Esse é o mérito da questão. Estamos dando uma carta branca ao prefeito", declarou o vereador, seguido por outro colega de parlamento.

Juscelino Cabral (PSDB) reclamou que poderiam haver sérios problemas quanto à viabilidade econômica do projeto, e pediu que antes de qualquer votação fossem oferecidos estudos de viabilidade e apresentados à ele. Contudo, tais estudos e cálculos estariam anexados ao projeto, conforme rebatido pelo presidente da Câmara, Laudir Munaretto (MDB). "Foi me informado aqui pela procuradoria que o estudo de impacto está no projeto", destacou.

Vereador e líder do governo na Câmara, Sérgio Nogueira (PSDB) também defendeu o projeto que barateia o transporte e disse que Dourados se destaca com essa iniciativa em Mato Grosso do Sul.  Segundo ele, nenhuma outra cidade fez isso ainda. "Três Lagoas não fez isso, Ponta Porã não fez isso. E tem mais, o chefe do Executivo Municipal colocou para nós que o transporte público terá políticas públicas a partir de agora", disse.

CÂMARA X PREFEITURA

A situação é mais um episódio dos desajustes entre Executivo e Legislativo em Dourados. Alan Guedes sofre pressão dos vereadores e vê sua gestão podendo ser investigada em CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) por causa da compra de kits de robótica. O prefeito nega que houve qualquer irregularidade e segue tentando apaziguar a relação.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande