RÁDIOS
Três Lagoas, 18 de junho

Acusada de matar músico em Três Lagoas é presa e confessa autoria do crime

Além da suspeita, uma outra pessoa foi detida por dar suporte no crime

Por Alfredo Neto
21/05/2024 • 18h34
Compartilhar

O Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil elucidou e prendeu uma mulher, de 46 anos, principal suspeita de ter executado com um tiro na cabeça o músico Eli Álvaro da Silva Resende, de 41 anos, no final de semana. A prisão ocorreu nesta terça-feira (21), após o depoimento da mesma na Delegacia do SIG, em Três Lagoas.

A suspeita, ex-mulher da vítima, foi intimada para prestar depoimento sobre as acusações e esclarecer onde estaria no momento em que ocorreu o crime. Segundo a Polícia Civil, ela compareceu à delegacia e negou ser a responsável pelo tiro fatal que matou "Teko", apelido de Eli Álvaro. No entanto, ao ser confrontada com depoimentos de testemunhas e provas coletadas, admitiu ter cometido o crime depois de uma discussão entre eles.

Após o depoimento, ela foi presa por homicídio qualificado e porte irregular de arma de fogo. Outra mulher, de 55 anos, também foi presa por ter dado suporte à suspeita, escondendo a arma usada no crime e dificultando as investigações. Ela responderá por posse irregular de arma de fogo. O revólver pertencente à ex-mulher de "Teko", utilizado no homicídio, foi apreendido com mais 17 munições intactas do mesmo calibre.

Devido às mudanças na legislação e políticas de publicização, informações detalhadas sobre o depoimento da suspeita e a motivação do crime não foram divulgadas. Entretanto, amigos e familiares de Eli afirmam que ela não aceitava que "Teko" seguisse a vida amorosa com outra pessoa, e que o ciúme teria sido a motivação para o crime. Eli Álvaro foi morto com um único disparo na cabeça.
 
SAIBA MAIS

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas