RÁDIOS
Campo Grande, 19 de julho

Mais de 80 mil famílias campo-grandenses podem receber vale-gás a partir de 2022

Segundo economista, auxílio deve chegar no Estado só ano que vem, com indefinição dos recursos

Por Giovanna Dauzacker
23/11/2021 • 14h01
Compartilhar

Catadora de materiais recicláveis, Ivonete da Silva e o marido sobrevivem com cerca de R$ 300 por mês. O valor é dividido entre contas de água, luz, arroz e feijão, cozinhados, há dois meses, no fogão à lenha. “Tá tudo errado, né. Porque ó o preço do gás. Eu mesmo estou cozinhando à lenha porque não tenho dinheiro pra comprar”, lamenta.

Com um dos mais significativos aumentos entre preços de produtos básicos, o valor do botijão acumula alta de 41,9% desde julho de 2020 em Campo Grande, segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

A família de Ivonete é uma das 88 mil famílias campo-grandenses aptas a receber o auxílio-gás. Isso porque o benefício, sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro na segunda-feira (22), prevê ajuda financeira para a compra do item a famílias que recebem até meio salário mínimo per capita e estão com cadastro atualizado no CadÚnico.

CBN: BANNER DIGIX 01.01 A 30.06.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além dessas, terão direito ao vale-gás aqueles que morarem com beneficiários da prestação continuada da assistência social (BPC) e preferencialmente famílias com mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob monitoramento de medidas protetivas de urgência.

Os beneficiários terão direito a um valor correspondente a uma parcela de até 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 kg a cada bimestre. Mas, o auxílio ainda depende da liberação de recursos do orçamento, que, segundo o economista, Michel Constantino, não tem uma fonte definida.

“Inicialmente, a narrativa é de que venha dos dividendos da Petrobrás que vão custear os R$ 6 bilhões do vale. Mas ainda não foi definido, então tem que definir essa fonte dos recursos e como vai ser feito, que é regulamentar o auxílio”, explica.

Depois disso, o governo terá 60 dias para incluir o projeto na legislação. Por isso, embora o anúncio do governo federal seja de que entre em prática neste ano, o auxílio deve sair do papel e chegar ao Mato Grosso do Sul somente no ano que vem.

“Os consumidores, pessoas de baixa renda, devem se receber o vale no início de 2022, para esse ano é difícil ter tempo para fazer todo esse processo de regulamentação”, afirma.

 

Como auxílio será pago?

O pagamento será por meio de um voucher, distribuído preferencialmente à mulher que está a frente da família.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande