RÁDIOS

POLÍTICA

Campo Grande, 20 de maio

Dagoberto confirma ida para o PSDB e "leva" PDT para caminhar com Riedel

Oficialização do que já estava prenunciado foi feita nesta quinta-feira, em evento na sede dos tucanos em Mato Grosso do Sul

Por Nyelder Rodrigues
31/03/2022 • 18h40
Compartilhar

Mal anunciou em suas redes sociais a saída do PDT e o deputado federal Dagoberto Nogueira já assinou em evento público na sede do PSDB em Campo Grande sua filiação a nova sigla. A troca de partido acontece após 31 anos sob a legenda fundada pelo histórico ex-governador do Rio Grande do Sul e do Rio de Janeiro, o militante de esquerda Leonel Brizola.

A assinatura do termo de filiação aconteceu na tarde desta quinta-feira (31), minutos antes dos tucanos apresentarem a exoneração de Eduardo Riedel da Secretaria de Estado de Infraestrura (Seinfra) para disputar as eleições para o Governo do Estado.

Dagoberto foi filiado ao PSDB para disputar a reeleição em outubro para deputado federal, cargo que exerce desde 2014. Entre 2006 e 2010, ele já tinha exercido o mesmo cargo, mas acabou saindo do mesmo ao disputar vaga de senador em 2010, ficando apenas em quarto, sem se eleger.

Além de Dagoberto, outros nomes se filiaram ao partido nesta quinta, entre eles a jornalista e vereadora douradense Lia Nogueira, que estava no PP, e Keliana Fernandes, apresentadora de TV que já foi casada com o também radialista e deputado estadual Marçal Filho. Keliana chegou a se candidatar a prefeitura de Dourados em 2016, perdendo a disputa para Délia Razuk.  

PDT VEM JUNTO

Além disso, foi oficializado durante o evento que o PDT segue ao lado de Riedel nesta campanha eleitoral, apesar da ida de Dagoberto para o ninho tucano. Nomes como o de Lucas de Lima, deputado estadual que estava no Solidariedade, e de Enelvo Felini, ex-prefeito de Sidrolândia e ex-secretário da gestão de Reinaldo, migraram para a sigla.

O partido vem passando nos últimos anos por um processo de enfraquecimento de nomes com potencial de votos. Várias saídas aconteceram da sigla, deixando um vácuo não preenchido. Apesar desse apoio à Riedel, segue o esforço nacional em prol de Ciro Gomes - pedetistas compareceram ao evento com a camisa de Ciro, posando para fotos com o candidato tucano.

Além do enfraquecimento do PDT, a sigla enfrenta uma fragilização do nome de Dagoberto, que vem perdendo votos ao decorrer das eleições. A necessidade de somar mais votos em sua legenda o fez trocar de sigla, partindo agora para um local onde vai dividir espaço com Geraldo Resende e Beto Pereira na disputa por cadeira na Câmara dos Deputados.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande Política