RÁDIOS
Campo Grande, 17 de agosto

Risco de grandes queimadas mobiliza Estado e decreto será publicado

Alerta para situação crítica reúne gestores para planejar a atuação do governo nos próximos três meses

Por Redação CBN CG
18/07/2022 • 20h30
Compartilhar

A partir de agosto o período de seca e ventos fortes costuma se intensificar em Mato Grosso do Sul, uma combinação que reascende o alerta para as queimadas, principalmente as de grandes proporções como as registradas em 2020 no Pantanal, quando mais de quatro milhões de hectares foram atingidos pelas chamas. Nos próximos dias, o governo do Estado deve publicar decreto de emergência para incêndios florestais e reativar o Centro Integrado de Monitoramento e Combate a Incêndios, além de ampliar as ações preventivas.

Uma reunião realizada nesta segunda-feira (18) entre os secretários estaduais Jaime Verruck, de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro ) e Antônio Carlos Videira, de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), além de representantes da Polícia Militar Ambiental, do comandante-geral do Corpo de Bombeiros do MS, coronel Dijan Leite e do diretor-presidente do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul), André Borges, definiu detalhes para reforçar os trabalhos no estado. As autoridades consideram a situação como de "emergência ambiental" e, por isso, as ações devem ser planejadas numa força-tarefa entre as pastas.

O grupo discutiu o aumento nas horas de voo das aeronaves de combate a incêndios, a ampliação de recursos humanos, a destinação de equipamentos, entre outras estratégias de prevenção e combate às queimadas que serão intensificadas a partir das próximas semanas. “Nós já estamos fazendo isso já há alguns meses. Mas agora nós temos um alerta de que esse é um período mais crítico. Por isso decidimos que nós vamos publicar o decreto agora [...] A ideia é reativar imediatamente o Centro Integrado de Monitoramento, fazer aceiros nas propriedades e que são extremamente importantes para evitar desastres maiores”, explicou Jaime Verruck.

Dados de satélite registrados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revelam que este ano 1.386 focos de queimadas foram detectados em Mato Grosso do Sul. O índice está 12% menor que no mesmo período do ano passado.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande