RÁDIOS
Três Lagoas, 19 de junho

Após incêndio em barracão de recicláveis, famílias devem receber cestas básicas

Assistência Social irá ajudar as famílias dos colaboradores que trabalhavam no local até a normalização das atividades

Por Redação JPNews
20/11/2023 • 13h39
Compartilhar

Após o incêndio que devastou o barracão da Cooperativa Arara Azul, responsável pelo processamento de lixo reciclável, a Prefeitura de Três Lagoas e parceiros uniram esforços para encontrar soluções que permitam a retomada das atividades e assegurem o sustento das 20 famílias envolvidas no projeto.

Além do apoio já existente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Agronegócio (Semea), que custeava o aluguel do barracão e fornecia suporte operacional com insumos, além da doação do material reciclável coletado pela Prefeitura; a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) agora intensificará o atendimento a essas famílias, garantindo o fornecimento de cestas básicas durante o período necessário até a normalização das atividades.

A empresa Financial, responsável pela coleta de lixo, se prontificou a ceder um barracão localizado no aterro sanitário, na Rodovia MS 395, saída de Três Lagoas para Brasilândia, para ser utilizado temporariamente até que seja possível a sede original passar por revitalização. Outro apoio crucial vem da Reciclagem Alvorada, uma empresa local, que disponibilizará uma esteira separadora e uma prensa, equipamentos essenciais que foram destruídos pelo incêndio.

Mauro De Grandi, secretário da Semea, destacou o comprometimento em fornecer todo o suporte para a Cooperativa nesse momento. “No entanto, é importante destacar que não há nenhuma campanha de arrecadação financeira para a causa, pois, todo o suporte e doações estão sendo feitas por empresas parceiras em negociações direta com a Cooperativa.”

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas