Três Lagoas, 26 de setembro
28º C
(67) 99229-0519

Aprovado mestrado acadêmico em enfermagem para Três Lagoas

Campus irá oferecer no primeiro semestre de 2019 a primeira turma do programa

Por Da redação
12/09/2018 • 13h00
Compartilhar

Com dez vagas autorizadas, o Campus de Três Lagoas (CPTL) irá oferecer no primeiro semestre de 2019 a primeira turma do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Enfermagem (PPG-ENF), nível Mestrado Acadêmico, recém-aprovado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoas de Nível Superior (Capes).

O Mestrado em Enfermagem tem como área de concentração “Cuidar em enfermagem, saúde e sociedade” e linhas de pesquisa “Cuidado em Enfermagem e Saúde: Análise da Prática e Educação” e “Saúde Coletiva: Saberes, Políticas e Práticas na Enfermagem e Saúde”.

O PPG-ENF é um dos únicos Mestrados Acadêmicos em Enfermagem aprovados na Modalidade Cursos Novos no país e terá a participação de dez docentes permanentes e um colaborador. As dez vagas serão ofertadas mediante processo seletivo para o ano de 2019, todas voltadas a portadores de diploma em Enfermagem.

“Três Lagoas é um município de grande importância para o estado de Mato Grosso do Sul, e a aprovação deste Mestrado em Enfermagem no campus de Três Lagoas na UFMS reafirma o compromisso institucional em tornar a região um polo educacional e de produção do conhecimento voltado à ciência, tecnologia e à inovação, contribuindo fortemente para o desenvolvimento socioeconômico da região e melhoria da saúde pública. A aprovação deste mestrado pela Capes é reconhecer a competência de toda uma equipe envolvida nesta proposta, de docentes, técnicos-administrativos, direção e gestão institucional, e contribuir para a melhoria da saúde pública e do desenvolvimento social”, afirma a coordenadora de Pós-Graduação da UFMS, professora Márcia Maria dos Santos Bortolocci Espejo.

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS