RÁDIOS
Três Lagoas, 20 de maio

Desconto de 15% para pagamento à vista do IPVA vai até 31 de janeiro

O prazo é o mesmo para quitar a primeira parcela, para quem optar pelo pagamento em cinco vezes

Por Carol Beghelini
27/01/2022 • 10h16
Compartilhar

Proprietários de veículos em Mato Grosso do Sul podem aproveitar a oportunidade do desconto de 15% para pagamento à vista, até o dia 31 de janeiro.

O prazo é o mesmo para quitar a primeira parcela, para quem optar pelo pagamento em cinco vezes. Nesse caso, o calendário fica assim:

  • 1ª parcela - 31 de janeiro de 2022
  • 2ª parcela - 28 de fevereiro de 2022
  • 3ª parcela - 31 de março de 2022
  • 4ª parcela - 29 de abril de 2022
  • 5ª parcela - 31 de maio de 2022

As duas formas de pagamentos estão disponíveis nos carnês que já foram distribuídos pela Sefaz (Secretaria de Estado de Fazenda de Mato Grosso do Sul).

JPNEWS: BANNER SICOOB NOSSO DE 06.04 A 05.07 - BONIFICAÇÃO PI 131.73
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também é possível acessar os boletos, débitos e tirar dúvidas relacionadas à cobrança do IPVA no site https://www.autoatendimento.ms.gov.br/ipva/.

Metade dos recursos arrecadados com IPVA vão para os municípios e a outra parte fica com o estado para ser investido em obras de infraestrutura e na prestação de serviços públicos em saúde, segurança pública e educação.

Anistia

Para 2022, existe também uma novidade importante em relação ao IPVA em Mato Grosso do Sul: a anistia do imposto e do licenciamento para motocicletas e ciclomotores até 162 cilindradas, com dívidas até 31 de dezembro de 2021. Essa isenção, no então, só vale após os contribuintes pagarem o IPVA e o licenciamento de 2022. 

Também será concedida anistia para taxa de licenciamento para veículos em dívidas até 31 de dezembro de 2016, cujo montante seja de até R$ 2 mil. (Informações Governo do Estado)

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews