RÁDIOS
Três Lagoas, 18 de junho

Empresário de Três Lagoas denuncia possível golpe superior a R$ 100 mil

Funcionário de loja estaria comprando perfilados metálicos no CNPJ do patrão para revender e não pagando os boletos

Por Alfredo Neto
21/05/2024 • 10h14
Compartilhar

Um caso de estelionato foi registrado nessa segunda-feira (20), em Três Lagoas, após o proprietário de uma empresa de perfilados metálicos sofrer um golpe de R$ 100 mil, no Distrito Industrial do município.

Segundo relato na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), dias atrás, uma pessoa, fingindo ser um empresário, ligou para o estabelecimento da vítima e realizou um cadastro para possíveis compras a prazo. Após a verificação do CNPJ e aprovação das instituições bancárias, as compras foram realizadas conforme solicitado pelo suposto empresário.

Inicialmente, os boletos foram pagos corretamente, mas, a partir do início de maio, começaram a vencer sem pagamento. Um vendedor da empresa de perfilados que passou a compra informou a vítima que, na verdade, era um funcionário deste suposto empresário quem realizava os pedidos. O motorista responsável pelas entregas, um prestador de serviços, relatou que o material entregue no pátio do comprador estava sendo revendido a um construtor. Este construtor teria contratado informalmente o motorista para recolher os objetos e levá-los a uma propriedade rural no município de Castilho (SP).

Supostamente, o funcionário estaria comprando perfilados metálicos no CNPJ do patrão para revender ilegalmente e não pagando os boletos. Com um prejuízo de R$ 100 mil em produtos vendidos e não pagos, o proprietário registrou um boletim de ocorrência na Depac.

A Polícia Civil agora investiga o caso para determinar se de fato houve o crime de estelionato e para apurar a participação de todas as pessoas envolvidas, incluindo as responsabilidades e possíveis culpabilidades.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas