RÁDIOS
Três Lagoas, 20 de maio

Morre Cardoso Filho, um dos principais ícones do rádio em MS

Cardoso foi internado quatro vezes neste ano, em Três Lagoas, por conta do agravamento da doença

Por Redação
30/04/2022 • 20h08
Compartilhar

O rádio sul-mato-grossense está de luto neste sábado (30). Morreu às 17h56 o grande comunicador das manhãs da Rádio Cultura em Três Lagoas, José Cardoso Filho, aos 73 anos. Cardoso era conhecido pelo seu jeito acolhedor e carismático, com o seu bordão: "Não importa com quem você dormiu. O importante é que você está acordando comigo!".

Ele conquistava a sua audiência e se consolidava cada vez mais na liderança do rádio em Três Lagoas. No grupo RCN de Comunicação, Cardosinho, como era chamado carinhosamente pelos colegas de trabalho, comandava as madrugadas e as manhãs da Cultura FM 106,5 com o programa da madrugada "Viola Caipira", das 3h às 6h da manhã, também no programa "Domingão na Fronteira", das 7h às 12h, os mais ouvidos no município e região.

Cardoso foi internado quatro vezes neste ano por conta do agravamento de um câncer. Na terça-feira (26), ele retornou ao Hospital Auxiliadora e morreu na tarde de hoje. Segundo a sua esposa, Meida Cardoso, o velório está previsto a partir das 12h, neste domingo (1), na Funerária Cardassi. "Cardoso sempre foi apaixonado pelo que fazia. Sua vida se resumia ao rádio. São mais de 30 anos dedicados ao trabalho, que na verdade, ele nem chamava de trabalho, dizia que era seu grande prazer de viver", frisou.

JPNEWS: BANNER SICOOB NOSSO DE 06.04 A 05.07 - BONIFICAÇÃO PI 131.73
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

"Cardoso era um ícone do rádio três lagoense. Ninguém conhecia música raiz, regional e paraguaia como ele. Deixará um grande lacuna no rádio", disse o diretor-geral do grupo RCN de Comunicação, Rosário Congro Neto. 

 

NOTA DE PESAR

O Grupo RCN de Comunicação, lamenta profundamente comunicar o falecimento do locutor Cardoso Filho, ocorrido no final da tarde deste sábado no Hospital Nossa Senhora Auxiliadora de Três Lagoas, aos 73 anos. 

Afável, dedicado, prestativo e solidário, sempre pronto para atender seu público ouvinte, executando músicas solicitadas durante seu programa na rádio Cultura FM 106,5 desde às três horas até as seis horas da manhã, de segunda a sexta-feira, durante o Viola Caipira e aos domingos, das sete horas da manhã ao meio-dia, com o programa Domingão na Fronteira.

Alegre, batia um bom papo com seus ouvintes e, no ar, cativava o seu público e liderava audiência. Começou no rádio em 1963, há 59 anos, assinalando uma trajetória invejável. Também, animou programas ao vivo na praça da Bandeira, hoje, Ramez Tebet. Estimulou e abriu espaço para músicos intérpretes da música regional, promovendo e revelando grupos de violeiros e cantores da música raiz.

O rádio é minha vida, me trouxe muitas lições. Sempre procurei fazer o melhor”, sempre dizia Cardoso Filho. O radialista foi acometido por insidiosa doença e durante quase treze anos lutou bravamente pela vida.

Não quis se aposentar por motivo de saúde. Dizia, "vou trabalhar sempre". E foi assim. O trabalho o sustentou na luta contra o câncer, prolongando sua existência. Sempre que podia agradecia a oportunidade de trabalho, o carinho dos seus companheiros de rádio e da direção da organização onde, por longos anos, contribuiu com o seu dedicado trabalho e colaboração.

Cardoso deixa uma prole numerosa, acrescida de netos e bisnetos. Sua mulher, Meida, ao longo dos últimos anos da sua vida, constituiu-se numa incansável companheira, sempre ao seu lado em todas as horas. Abre-se uma lacuna na vida do rádio três-lagoense. Cardoso será insubstituível e lembrado com muita saudade. 

O Grupo RCN de Comunicação, ao lamentar o falecimento de Cardoso Filho, envia aos seus familiares as mais sentidas condolências, rogando ao Criador – o nosso Pai Maior, o seu  amparo e proteção.

Rosário Congro Neto 
Diretor-geral do Grupo RCN de Comunicação

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews