Três Lagoas, 20 de setembro
34º C
(67) 99229-0519
JPNEWS: CONQUISTA SEGUROS BONIFICAÇÃO CONTRATO 37546

Números de incêndio em vegetação caem 28% em 2017

De acordo com Corpo de Bombeiros, foram 346 ocorrências deste tipo no ano passado

Por Sergio Colacino
05/01/2018 • 17h00
Compartilhar

Dados do Corpo de Bombeiros mostram que as ocorrências de fogo em vegetação caíram 28% em 2017, se comparadas ao ano anterior, em Três Lagoas. Mesmo com a queda, os números preocupam. Foram mais de 28 focos de incêndio por mês durante o ano passado.

“Acreditamos que a conscientização ajudou a reduzir estes índices, mas o clima principalmente foi um fator determinante. Com mais chuvas no ano passado, os focos de incêndio diminuíram”, avalia o tenente do 5º Grupamento do Corpo de Bombeiros, Hoanderson de Sá.

Em 2016, os bombeiros registraram 483 casos de incêndio em vegetação. No ano passado, foram 346 ocorrências deste tipo. De acordo com o tenente, nos últimos meses do ano o 5º Grupamento denunciou à prefeitura terrenos baldios que foram alvos de queimadas. A ação começou em julho e resultou em 166 notificações.

“Fazíamos o atendimento de combate ao fogo e depois colhíamos os dados de localização para enviar à Secretaria de Meio Ambiente, assim os donos dos terrenos que estavam mal cuidados seriam notificados. Tivemos um bom retorno e esperamos que essa conscientização signifique uma queda ainda maior em 2018”, completa.

Multas

É proibido atear fogo em lixo, matas, lavouras, campos alheios ou em quaisquer outros objetos, mesmos nos próprios quintais. A multa é de R$ 446. Para evitar o risco de incêndios, o Corpo de Bombeiros orienta a não lançar pontas de cigarro pela janela de veículos quando trafegar por rodovias, não jogar lixo em terrenos baldios e ruas – latas de metal, cacos e garrafas de vidro podem se aquecer com o sol e dar origem à queimadas e não queimar lixo e folhas secas em terrenos baldios.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS