RÁDIOS
Três Lagoas, 16 de junho

Suzano e Missão Salesiana qualificam mais de 260 mulheres para o mercado de trabalho em Três Lagoas

Em 2023, os projetos Conexão Profissional e Mulheres Arteiras tem geraram um incremento médio de 30% a 60% na renda entre as participantes

Por Redação JPNews
12/02/2024 • 07h49
Compartilhar

Com o apoio da Suzano, a Missão Salesiana de Mato Grosso (MSMT) qualificou 264 mulheres para o mercado de trabalho de Três Lagoas por meio dos projetos Conexão Profissional e Mulheres Arteiras. As iniciativas visam promover o empoderamento feminino e reduzir desigualdades sociais e de gênero no mercado de trabalho por meio da qualificação profissional, inserção no mercado de trabalho e, consequentemente, aumento da renda complementar das famílias.

"Ao promover a qualificação profissional, principalmente do público feminino, estamos contribuindo diretamente para a redução de desigualdades social e de gênero. Essas ações fornecem condições para que mulheres tenham oportunidades de incrementar a renda familiar.  Isso tudo faz parte de um compromisso público assumido pela Suzano que estão previstos nas metas de longo prazo da companhia, entre elas, a de mitigar o problema de distribuição de renda e retirar 200 mil pessoas da linha de pobreza nas áreas de atuação da companhia até 2030", destaca Giordano Automare, gerente executivo de Desenvolvimento Social da Suzano.

Ao todo, foram formadas 104 mulheres por meio do Projeto Conexão Profissional e 160 pelo Mulheres Arteiras. Deste total, 127 são chefes de família e 100% estavam em situação de vulnerabilidade socioeconômica. Com as formações, as beneficiadas tiveram um incremento médio de 30% a 60% na renda familiar. A idade média das mulheres é de 20 a 45 anos.

JPNEWS: BANNER FAMÍLIA É TUDO 14.05 A 23.12.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em 2023, foram desenvolvidos nove cursos por meio do projeto Conexão Profissional: Barbearia; Jardinagem; Manutenção de Celular; Maquiagem; Marketing Digital; Depilação; Design Sobrancelhas; Informática e Mecânica de Automóveis. Já o Mulheres Arteiras disponibilizou 05 cursos: Manicure e Pedicure; Bolos e Coberturas; Cabeleireiro Básico; Marketing Digital e Tortas e Salgados.

Iranete de Lima Santos, 36 anos, tem quatro filhos e se dividia em afazeres da casa e em atividades de um outro projeto que frequentava quando ficou sabendo do Conexão Profissional. "Eu logo me interessei pelo curso de manicure e pedicure, porque, além de gostar dessa parte, para mim é muito bom porque posso fazer uma renda extra mesmo trabalhando em casa nos horários que eu tenho livre. Graças a Deus e à iniciativa da Suzano consegui terminar essa formação e agora posso abrir um negócio próprio e guardar um dinheiro para comprar minha casa", comemora.

Cledja de Lima Valentim, de 31 anos, também é uma mãe inspirada pela oportunidade. Assim como Iranete, ela participou do curso de manicure e agora sonha em abrir o próprio salão. "Fiquei sabendo por uma colega que também atua na área e eu sempre queria ter uma oportunidade nesse setor. Graças a esse curso da Suzano consegui me tornar uma manicure profissional, estou muito feliz e indico essas formações para toda mulher que sonha em uma vida melhor para sua família", complementa.

Inserção no mercado

Os dois projetos tiveram início em 2022 com o objetivo de promover a qualificação profissional, visando gerar emprego e renda ao atender a demanda reprimida por serviços (Projeto Conexão Profissional) e do setor têxtil e de confecção (Mulheres Arteiras). Além da parte teórica dos cursos, os projetos também abordam temas como empoderamento feminino, independência financeira, prevenção à violência doméstica e autoestima.

Do total de mulheres formadas, 103 foram inseridas no mercado de trabalho, sendo 62 por meio do Projeto Conexão Profissional (59,6% de taxa de inserção) e 41, por meio do Mulheres Arteiras (25,6%).

* Com informações da assessoria da Suzano

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas