Três Lagoas, 28 de setembro
30º C
(67) 99229-0519

Trio que invadiu padaria no bairro Vila Maristela tinha menor de 16 anos

Adolescente deu guarda ao bando. Um dos assaltantes foi morto durante troca de tiros com a PM

Por André Barbosa
04/01/2018 • 17h48
Compartilhar

Clientes e funcionários de uma padaria do bairro Vila Maristela em Três Lagoas viveram momentos de terror, durante um assalto ocorrido por volta das 14h30 desta quinta-feira (04). Conforme noticiado pelo JPNEWS, dois jovens e um adolescente de 16 anos roubaram R$ 180 do estabelecimento comercial. O menor teria dado guarda aos assaltantes, em veículo VW Gol, estacionado nas proximidades do local do crime.

Antes de fugir, o trio armado de revólveres efetuaram disparos para o alto, a fim de assustar as vítimas. Um dos suspeitos, Afonso Henrique Macena de 18 anos, morreu, após troca de tiros com equipe da Força Tática (antiga Rotai – Rondas Ostensivas Táticas do Interior).

De acordo com o subtenente PM Flávio, as características dos assaltantes foram passadas pelas vítimas. Ao efetuar buscas pelas proximidades do estabelecimento comercial, se deparam com o segundo suspeito, de 20 anos, que dirigindo o veículo, havia acabado de dispersar o bando e, juntamente com sua mãe, carregava o dinheiro do assalto.

Durante a abordagem, ele acabou dando a localização da residência de Afonso Henrique, no Bairro São João. No local, a Força Tática tentou abordar o jovem de 18 anos, mas ele teria reagido disparando contra a equipe, que revidou. Ferido, chegou a ser socorrido pela própria PM, mas não resistiu e morreu ao dar entrada no Hospital Auxiliadora.

Afonso tinha mandado de prisão expedido pela Justiça de Mato Grosso do Sul.

Foi a primeira morte do ano em ocorrência policial. As armas dos PMs e uma arma apreendida com o suspeito morto serão periciadas. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews

VEJA MAIS