RÁDIOS
Campo Grande, 26 de junho

Alta procura por placas fotovoltaicas pode resultar na falta do produto, diz especialista

Segundo Hewerton Martins, previsão é de que tarifa de energia aumente 21% em abril deste ano

Por Giovanna Dauzacker
07/02/2022 • 15h40
Compartilhar

Com os sucessivos aumentos da conta de energia elétrica, muitos consumidores tem migrado para as placas fotovoltaicas. Embora a busca pela alternativa mais rentável aconteça todos os anos, o presidente do Movimento Solar Livre, Hewerton Martins, explica que nos quatro primeiros meses de 2022, pode ser ainda maior.

“A procura deve aumentar, inclusive tem risco de falta de material devido a todo mundo que está buscando gerar sua própria energia devido a um reajuste muito grande previsto para abril deste ano para a região, de 21%”.

TODAS AS PRAÇAS: BANNER FORUM CBN
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com a possibilidade da escassez, vendedores e fornecedores tem preparado os estoques, mas Hewerton lembra que mesmo assim, quem deseja comprar uma placa fotovoltaica, deve buscar com antecedência.

“As empresas estão se organizando aqui na associação com estoques, com volume de material disponível para poder atender esse grande público. Agora, é importante esse consumidor se preparar antecipadamente, porque começa ter uma fila de pedidos na concessionária”, instrui.

Marco legal

Com a lei 14.300, sancionada no início deste ano, o sistema fotovoltaico passa por mudanças legislativas. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) tem prazo de 120 dias para regulamentar a legislação, que prevê uma taxação para quem obter as placas fotovoltaicas, o chamado Fio B.

“Quem fez o sistema solar anteriormente e até o último dia de 2022, não tem nenhuma taxação, continua com a regra antiga até 31 de dezembro de 2045. Mas quem fizer a partir do ano que vem, quem fizer, começa a pagar uma taxa relativa à rede de distribuição. Aqui em Mato Grosso do Sul, deve chegar na ordem de 37% do valor da tarifa”, explica Hewerton.

Mesmo com a nova lei, ele garante que a alternativa continua sendo mais barata que a elétrica. “A energia tem subido constantemente, então ainda assim vai continuar compensando”.

Ajuda virtual

Para quem está com dúvidas sobre quanto pode economizar com as placas solares, o Senai de Mato Grosso do Sul pode ajudar, por meio de um simulador online. “Ele é muito simples para tentar entender o que pode fazer de investimento da tua energia fotovoltaica. Ele te dá uma noção de tamanho da usina, expectativa de investimentos, um norte do valor”, explica o diretor regional, Rodolpho Caesar Mangelardo.

O sistema é gratuito e pode ser acessado no site. Mas, para maiores detalhes, o diretor recomenda o auxílio individual de técnicos do próprio Senai. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande