RÁDIOS
Campo Grande, 21 de maio

Conheça o mercado de linguiça artesanal na capital

Empresários falam dos desafios na produção e dificuldades para regularizar documentação sanitária

Por Thais Cintra
14/05/2022 • 11h30
Compartilhar

Campo Grande possui atualmente 31 empresas que receberam ou renovaram o selo de inspeção municipal (SIM), documento que garante condições higiênico-sanitárias para funcionamento dos locais. Segundo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (Sedesc), aproximadamente 20 processos estão em andamento de regularização para concessão do certificado. Incluso nesta lista está o micro empresário Alan Correa (47), que decidiu se reiventar e mudar o segmento alimentício, anteriormente focado no comércio de pizzas e agora visa a produção e venda de linguiça artesanal. Ele afirma que apesar de burocrático, o processo de regularização sanitária atesta segurança e traz credidbilidade aos negócios.

"Já tenho o 'SIM', mas não é facil. A dificuldade de investimento é muito grande, tive que reformar e gastar com veterinário mensal porque trabalho com carne bovina, e também precisei adaptar o espaço de acordo com as normas da vigilância sanitária. Mas nosso registro já saiu, aí muda bastante. O produto nosso é visto de outra forma", destaca o empreendedor que produz em média 250 kg de linguiça semanalmente. 

 Alan Correa ao lado de Luan Santana em uma das publicações no insta. (https://www.instagram.com/alansgourmet/) - Foto: reprodução Instagram 

TODAS AS PRAÇAS: BANNER FORUM CBN
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Produzindo quantidade bastante elevada e com poder de fabricar até 1 tonelada de linguiça diariamente, a empresária Dalana Machado (38), proprietária de uma casa de carnes em Campo Grande, afirma que o negócio expandiu tanto que precisou aliar equipamentos tecnológicos à produção, para que a equipe de funcionários desse conta da demanda. 

"A gente sempre inicia tudo pequeno, antes de porta em porta. Existe diferença de você produzir e vender de porta em porta e depois atender três lojas. Não perdemos nossa enssência, a maneira de fazer artesanal, porém, a gente otimiza utilizando a tecnologia. Temos uma embutideira com alto poder produção, algo que nos dá o beneficio de conseguir abastercer as outras unidades de forma rápida e eficaz", explica

Produtos comercializados na https://www.instagram.com/casadalinguica/ - Foto: Reprodução Instagram

Mato Grosso do Sul possui atualmente sete estabelecimentos no segmento de produtos de origem animal, com o selo de Serviço de Inspeção Estadual (SIE). Segundo Daniel Ingold, presidente da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), existe todo um processo para que o empreendedor adquira um selo específico dos produtos alimentícios artesanais que poderão ser vendidos em diferentes estados.

"Primeiro passo é ter um selo de inspeção, que já tem as informações e regras a serem seguidas. Tendo isso, o segundo passo é adotar o manual de boas práticas na produção de itens artesanais", informa. No site https://www.iagro.ms.gov.br/servico-de-inspecao-estadual-sie/, você confere todo o procedimento para tirar o registro estadual.  Mais informações referentes ao cadastro municipal estão no site: https://www.campogrande.ms.gov.br/sidagro/.

 Segmento diversificou mercado e novos produtos estão surgindo - Foto: Dalana Machado  

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande