RÁDIOS
Campo Grande, 15 de julho

Quanto de ciência existe na arte da gastronomia?

Hoje a gastronomia molecular abriu caminhos para que muitos chefs se unissem a cientistas

Por Paulo Machado/Isabelly Melo
09/11/2021 • 09h01
Compartilhar

O quanto de ciência existe na arte da gastronomia? Se depender do cientista Pere Castells, muito! Ele é responsável há anos pelos estudos acadêmico-científicos da Universidade de Barcelona.

Com esse feito, Castells já viajou pelos quatro cantos do mundo e ajudou chefs como Ferran Adriá nas bases da cozinha intitulada molecular. Esterificações, espumas e o uso de nitrogênio líquido são algumas das características inovadoras dessa cozinha que ganhou muita força no início dos anos 2000.

CBN: BANNER DIGIX 01.01 A 30.06.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Hoje, a gastronomia molecular abriu caminhos para que muitos chefs se unissem a cientistas e, dessa forma, passassem a se apropriar em suas cozinhas de conhecimento técnico e minucioso nos preparos de determinadas receitas, inclusive quando o campo for o das sobremesas.

Por falar em tudo isso conto pra vocês que esta semana fui convidado a participar da segunda edição do Congresso Internacional de Ciência e Gastronomia da universidade de Barcelona. Uma chance de reunir chefs e pesquisadores para trocar experiências e manter viva a curiosidade de cada um destes agentes pela inovação, sempre visando a boa comida e agora, mais do que nunca, a responsabilidade ambiental e da saúde pessoal dos comensais e staff que frequentam negócios e eventos gastronômicos.

Fique ligado, saiba mais e acompanhe este evento pela minha rede social: @chefpaulomachado.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande