Paranaíba, 05 de agosto(67)99272-4655

Dono de parque de diversões diz que não volta em Paranaíba

O empresário chegou ao ponto de querer desmontar o parque no meio da festa

Por Talita Matsushita
11/07/2017 • 14h39
Compartilhar

Após 35 anos trabalhando na Expopar (Exposição Agropecuária de Paranaíba), Vanderlei Zanin proprietário do Kid Play Center Park, responsável pelo parque de diversões, afirmou que não volta na festa de Paranaíba. O motivo foi a pressão sentida pelo empresário, além dos altos impostos cobrados para poder trabalhar na cidade. Ele conta que além de pagar para poder instalar o parque na Exposição, pagou alvará para a Prefeitura, assim como ISS (Imposto Sobre Serviço), após isso um fiscal municipal esteve no parque de diversões para verificar se o valor declarado da venda de ingressos era compatível com a realidade.

Vanderlei conta que se sentiu pressionado e pensou até em desmontar o parque de diversões durante a festa, porém em respeito a população não o fez. “A motivação foi que a Prefeitura pegou muito no meu pé. Não que eu não deva pagar [impostos], mas acho que devo pagar o justo. Este ano eu declarei baseado no ano passado, e inclusive foi mais ou menos parecido, e foi muito cobrado e exigido muito de mim na Prefeitura, acho que foge da realidade”, disse.

O empresário ainda falou que como o parque faz parte da Exposição o ISS deveria ser único, como é feito no restante do país. Em Paranaíba, ressaltou, houve apenas uma gestão que não foi perseguido e foi tratado com respeito, na gestão do ex-prefeito José Garcia de Freitas, (Zé Braquiara).  

“Acho que eles [Prefeitura] tentaram me tirar um dinheiro de onde não tinha. Paguei em torno de R$ 3.100 de ISS, não sou contra, mas num primeiro momento me colocaram um alvará de R$ 4.600, mas houve bom senso de alguma parte lá e eles me cobraram um alvará de R$ 500, que é dentro da normalidade, como é feito em qualquer outro lugar”, disse.

O motivo de Vanderlei não trazer mais seu parque para Paranaíba, segundo ele, é sentir-se pressionado por ambas as partes, mais expressamente pela Prefeitura. Na opinião do empresário, a Expopar é o evento do ano, tradicional e acha que se não puder ajudar o Sindicato Rural a fazer o evento, deveria não interferir, nem atrapalhar. “Um evento dessa proporção tem riscos, e riscos grandes, que pode tanto ganhar ou perder. Fizemos a declaração de um receita, e o fiscal veio, acompanhou a abertura e fechamento do parque, até por desencargo de consciência, para saber se era somente o que declarei mesmo”, contou.

Vanderlei ainda disse que assim como foi cobrado o ISS do parque de diversões, deveria ser cobrado dos vendedores que montam barracas, pois todos faturam. “Todos vem vender seu produto, agora só necessariamente o parque de diversões paga esse tributo. Acho que o pessoal do evento deve analisar isso com mais carinho, pois se eles quiserem um parque no evento tem que sentar e conversar, para que outro parque saiba que tem que pagar uma porcentagem para a organização, pagar alvarás, e ISS. A pessoa que vier vai pensar duas vezes antes de vir, tenho certeza”, desabafou.

Vanderlei afirmou que apesar de trabalhar com brinquedos não está para brincadeira, e não encontra motivos para tanta pressão, principalmente pelo fato de trabalhar aqui há 35 anos, e mais especificamente há 12 anos com parque de diversões.

“Um empresário quando vem na cidade ele dever ser tratado de uma maneira melhor, em  todo lugar a gente é bem recebido, o pessoal só elogia, até porque a gente não explora a população, o preço do ingresso que eu cobro é o mesmo há cinco anos, e estou segurando porque sabemos que está difícil, além de saber que a renda da cidade não é muito grande”, concluiu.

Vanderlei confirmou que na data que Paranaíba realiza a festa trabalhará em outro lugar. “O motivo simplesmente chama Prefeitura Municipal de Paranaíba”, finalizou.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Cultura FM 106,3 - Paranaíba

VEJA MAIS