RÁDIOS
Três Lagoas, 18 de abril

Chuva alaga rua e família fica ilhada dentro de carro

Por Valdecir Cremon
08/01/2018 • 06h24
Compartilhar

Um carro com quatro pessoas foi arrastado pela chuva, neste domingo (7), em um bairro da zona Oeste de Três Lagoas, após pouco mais de meia hora de chuva. O veículo ficou danificado e as pessoas foram retiradas por fregueses de um restaurante do bairro Jardim das Oliveiras, pouco após o horário de almoço. Ninguém se feriu.

A família contou que tentava sair do restaurante quando a água invadiu a rua Henrique Pistelli. "Não deu tempo de atravessar para o outro lado, onde não havia muita água. Ficamos ilhados, em desespero. Meu filho, de 6 anos, começou a chorar e não podíamos sair. Uma pessoa, um anjo, nos ajudou e conseguimos voltar para o lado da rua, perto do restaurante", disse a dona do carro.

O marido dela ficou no veículo, mas não pode impedir a invasão da água. Outras pessoas tentaram ajudar, até a chegada do Corpo de Bombeiros. 

JPNEWS: BANNER RCN NOTICIAS PATROCINADO ATUALIZADO 27.03.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Por redes sociais, a família criticou a administração municipal. "Vários prefeitos não deram importância para o crescimento da cidade e não executaram obras imprescindíveis", citaram. O bairro não possui sistema de drenagem. Uma obra na zona Oeste prevista para terminar neste ano contém solução para seis bairros vizinhos.

Também por redes sociais, outras pessoas relataram problemas semelhantes no bairro Vila Haro, vizinho do Jardim das Oliveiras. "Meu carro atolou e a água invadiu", contou um motorista. "Todas vez que chove ocorre isso", disse outra pessoa. 

Um advogado que pediu para não ser identitificado na reportagem disse que vai mover uma ação de reparação de danos contra a prefeitura. Ele estima prejuízo de R$ 15 com danos em um carro da família. 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas