RÁDIOS
Três Lagoas, 21 de maio

Contorno rodoviário na região Norte será concluído em 2024, diz engenheiro do Dnit

Com a obra, veículos pesados terão acesso direto entre as rodovias, sem passar pelo perímetro urbano de Três Lagoas

Por Kelly Martins
12/04/2024 • 09h51
Compartilhar
TODAS AS PRAÇAS: BOX INTERNA NESCAU ATÉ 31.12.24

A obra do contorno rodoviário de Três Lagoas é um projeto aguardado há mais de dez anos e que deverá ser concluído em 2024. Em entrevista ao RCN Notícias nesta sexta-feira (12), o engenheiro do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) de Três Lagoas, Milton Rocha Marinho, destacou que a fase atual é a ligação entre a BR-158 em direção ao município de Selvíria e a BR-262, no sentido Campo Grande, que consiste em nove quilômetros. “Ele já está todo implantado, a terraplanagem, e a partir do mês de maio deverá começar a pavimentação”, afirmou.

O contorno rodoviário vai possibilitar aos veículos pesados acesso direto entre as rodovias, sem a necessidade de passar pela avenida Ranulpho Marques Leal. A previsão é de isso já ocorra ainda neste ano, conforme Marinho.

De acordo com o projeto, na BR-262, o contorno seguirá em direção à BR-158, nas proximidades da MS-320. Quem pegar esse trajeto, terá opção de seguir sentido Selvíria, ou para o Estado de São Paulo, passando pelo perímetro urbano de Três Lagoas através do anel viário Samir Thomé.

TODAS AS PRAÇAS: BANNER BRILHANTE ATÉ 31.12.24
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 O motorista que quiser também terá a opção de continuar pela BR-262, passando por Três Lagoas, e seguir sentido Brasilândia ou São Paulo. Nesse caso, se o condutor quiser poderá passar pela avenida Ranulpho Marques Leal, que corta o perímetro urbano da cidade, ou poderá seguir pelo contorno rodoviário.

Confira a entrevista abaixo:

https://www.youtube.com/watch?v=tjqCtU8aQm4

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas