RÁDIOS
Três Lagoas, 16 de junho

Ministra Simone Tebet pede afastamento do ministério por dez dias

O marido da ministra, o secretário da Casa Civil de MS, Eduardo Rocha, também pediu afastamento do cargo

Por Redação JPNews
31/12/2023 • 07h31
Compartilhar

A ministra do Planejamento e Orçamento, Simone Tebet, pediu afastamento do ministério por dez dias, conforme publicado no Diário Oficial da União no dia 22 de dezembro e divulgado por ela no domingo (24). “Agora venho comunicar vocês que estou pedindo afastamento do Ministério do Planejamento porque, assim como vocês, vou para as minhas merecidas férias descansar com minha família por dez dias”, postou nas redes sociais.

O marido da ministra, o secretário da Casa Civil de MS, Eduardo Rocha, também pediu afastamento do cargo por duas semanas, para viajar com a família para outro país. 

Férias 

JPNEWS: BANNER FAMÍLIA É TUDO 14.05 A 23.12.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O governador Eduardo Riedel (PSDB) também está de férias e descansará até o dia 14 de janeiro. Neste período, o vice-governador José Carlos Barbosa (PP) e o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Gerson Claro (PP), revezam no comando do Estado. Gerson permanece à frente do governo até o dia 1º de janeiro, período em que Barbosinha também estará fora de Mato Grosso do Sul. De 2 a 14 de janeiro, o vice assume até a volta de Riedel ao trabalho, no dia 15. 

Promete 

2024 promete ser um ano bem movimento. É um ano de eleições municipais e o último mandato do prefeito Ângelo Guerreiro. Além de obras, o prefeito deve realizar eventos grandiosos, como a última Festa do Folclore, que promete ser uma das maiores já realizada em Três Lagoas. Por ser ano eleitoral, também deverá ter muitas denúncias e troca de farpas no Legislativo, entre oposição e situação.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas