RÁDIOS
Três Lagoas, 21 de maio

Projeto inédito capacita mulheres artesãs da aldeia Ofaié

As mulheres indígenas da aldeia Ofaié são as primeiras do país a receber capacitação do projeto elaborado pelo Sebrae, em MS

Por Sidney Cardoso
16/04/2024 • 12h35
Compartilhar
TODAS AS PRAÇAS: BOX INTERNA NESCAU ATÉ 31.12.24

Na aldeia indígena Ofaié Xavante, localizada a 12 km do município de Brasilândia e a 65,5 km de Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul, há 32 famílias. Na aldeia há um grupo de mulheres que desenvolve um trabalho com produtos artesanais, com grande potencial econômico e cultural.

Os produtos retratam a história e memória da cultura Ofaié, que continua viva e incentivada através do Empretec Indígena do Brasil, um projeto criado pelo Sebrae em parceria com Governo do Estado e a Prefeitura de Brasilândia. A aldeia Ofaié foi a primeira do Brasil a receber o projeto, lançado em 12 de abril de 2024.

O Empretec tem objetivo de capacitar e potencializar o empreendedorismo de forma criativa, focando na economia local, como destacou o gerente de gestão de soluções do Sebrae Nacional, Eduardo Matta. “Escolhemos Mato Grosso do Sul e as mulheres da aldeia Ofaié para serem as primeiras capacitadas com o Empretec pelo potencial que já existia nelas. Agora, a ideia é expandir para outros estados”, pontou.

JPNEWS: BANNER FESTIVAL BEER EM BLUES 14/05 A 23/05/2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um espaço construído na área central da aldeia é onde os visitantes são recebidos pelos indígenas. Há uma sala com equipamentos que as mulheres utilizam para a produção dos produtos de artesanatos feitos com tecido, sementes e pena e, também, a rosa do deserto, além dos materiais e alimentos preparados de forma especial como salgados e mel, tudo produzido por mulheres indígenas artesãs da aldeia Ofaié.

A indígena e artesã, Luciane Rodrigues, participou da capacitação e já planeja investir mais a partir de agora no trabalho que ela já desenvolve na aldeia. “Eu faço salgado, pão e bolo. E com esse curso eu vi que eu tenho a oportunidade de levar mais para frente e conseguir vender mais. E agora, estou querendo investir mais nisso”, contou Luciane.

As mulheres da aldeia Ofaié são as primeiras do país a receberem a capacitação do projeto, devido ao grande potencial de trabalho que elas já realizavam, mas que muitas delas nem sabiam que tinham, como contou a Vice-Cacique da aldeia Ofaié e líder das mulheres artesãs, Ramona Coimbra.

“Eu como líder do grupo das mulheres artesãs estava sozinha ‘puxando essa corda’ com 15 mulheres. E agora, depois do Empretec, elas vão pegar essa corda e vamos erguer juntas. Porque elas têm uma capacidade tão grande dentro delas que nem elas sabiam, e agora, elas estão descobrindo isso”, contou a artesã, Ramona Coimbra.

Os principais produtos são feitos com tecidos, que recebem tinta e texturas que refletem à flora e fauna da região. O material é artesanal com traços e palavras escritas em português e na língua materna do povo Ofaié. O projeto do Empretec Indígena Brasil capacitou 30 mulheres.

O cacique da aldeia Ofaié, Marcelo Silva, comemorou a oportunidade de as mulheres transformarem uma habilidade artesanal em um potencial de negócio e geração de renda para a aldeia. “Agora, nós precisamos dá um segundo passo e fazer com que esse trabalho delas seja mais valorizado e reconhecido. E o Empretec veio justamente para qualificar e ensino como lidar com os negócios”, explicou.

A gerente regional do Sebrae Costa Leste, Josi Signori, destacou que a iniciativa do Empretec indígena faz parte do projeto do Sebrae "Cidade Empreendedora", que busca despertar nas mulheres um perfil empreendedor. “A partir da líder Romana que já vendi seus projetos, surgiu a vontade de fazer com que todas as mulheres artesãs Ofaié tivessem a oportunidade e estar presente nesse seminário que desponta o perfil empreendedor”, expressou.   

O vice-governador de Mato Grosso do Sul, José Carlos Barbosa, esteve presente na ação e apontou o impacto econômico e social não apenas para a aldeia Ofaié, mas em toda à região Leste do estado. “Quem faz o Empretec modifica sua forma de enxergar o mundo. E isso vai criar raiz e daqui da aldeia Ofaié vai expandir para todo o Brasil. Para o Governo de Mato Grosso do Sul é extremamente importante criar políticas públicas ouvindo as comunidades indígenas”, afirmou.  

O secretário-executivo do ministério dos povos indígenas, em exercício, Luiz Eloy, também prestigiou o evento de lançamento do Empretec, na aldeia Ofaié. Na ocasião, destacou o fortalecimento do protagonismo do empreendedorismo feminino e da juventude indígena. “Agora nós vamos aproximar mais da aldeia Ofaié, que é a menor aldeia de Mato Grosso do Sul. Então, é muito simbólico começar esse projeto na comunidade Ofaié”, pontou.

O projeto promove a autonomia das mulheres Ofaié e o desenvolvimento sustentável da região, potencializando as comunidades indígenas, como expressou a secretária de estado de cidadania, Viviane Luiza. “A diversidade cultural passa pelas comunidades indígenas. São 116 mil indígenas que nós temos no estado. Pensando nisso, em 79 municípios dos quais 36 tem comunidades indígenas. Então precisamos pensar que a cultura indígena está arregada nas nossas culturas”, expressou.

Segundo o prefeito de Brasilândia, Antônio de Págua, várias ações de empreendedorismo são desenvolvidas na região e 233 pessoas já receberam capacitação de empreendedorismo, tornando o município empreendedor e inclusivo. “O que estamos presenciando na comunidade Ofaié é fruto todo um trabalho que eu como prefeito, nós conhecemos o potencial das mulheres que compõe essa comunidade. E estamos estimulando e fazendo desabrochar em cada mulher e participantes do seminário a vontade de se desenvolver e empreender”, destacou.   

Os produtos produzidos pelas mulheres artesãs Ofaié são comercializados em feiras de artesanatos e em espaços culturais, em Brasilândia, uma forma de fomentar o comércio cultural e incentivar a produção fortalecendo ainda mais a história da aldeia Ofaié.

Confira na reportagem abaixo: 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas