RÁDIOS
Três Lagoas, 25 de junho

Um milhão de peixes são soltos no rio Paraná em comemoração ao ‘Dia do Meio Ambiente’

Solturas fazem parte de programa de repovoamento dos rios e contam com ações de educação ambiental

Por Steffany Pincela
31/05/2019 • 14h31
Compartilhar

Cerca de um milhão de peixes estão sendo soltos na bacia do rio Paraná, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho. A ação está sendo realizada pela empresa da China Three Gorges Corporation, líder global em energia limpa, CTG Brasil.

No total, são sete solturas técnicas e educativas que tiveram início no dia 22 de maio e vão até 7 de junho, nos reservatórios das usinas Jupiá e Ilha Solteira, operadas pela empresa.

Nos dias 3 e 5 de junho as solturas serão especiais e contarão com ações de educação ambiental, e a presença de autoridades e alunos da rede municipal de ensino de Selvíria (MS), de Castilho (SP), além da equipe técnica da CTG Brasil.

JPNEWS: BANNER FAMÍLIA É TUDO 14.05 A 23.12.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na segunda-feira (3), em Selvíria, a soltura será às 13h30, na Ponte São José dos Dourados. O prefeito José Fernando Barbosa e 40 alunos da escola Prof. Nelson Duarte Rocha vão participar da ação. Na quarta-feira (5), em Castilho, a soltura vai ser na Vila dos Operadores, também às 13h30, com a presença da prefeita Fátima Nascimento e a participação de 70 alunos das escolas Youssef Neif Kassab, Maria Dauria Oliveira e Mauro Roberto Manoel.

Nesses dias, serão soltos 100 mil peixes das espécies pacu-guaçu e curimbatá. Nas outras solturas, de natureza técnica, são mais 800 mil, totalizando 1 milhão de peixes.

Com as solturas realizadas desde o início do ano, a CTG Brasil alcança a marca de 1,7 milhão de peixes soltos em 2019, apenas no rio Paraná. Para o segundo semestre, serão mais 308 mil.

 

 

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas