OBSERVATÓRIO

Vereador é vítima de assalto em Três Lagoas

Leia a coluna Observatório, publicada na edição deste sábado (24) no Jornal do Povo

Por Redação
24/06/2017 • 10h59
Compartilhar

VEREADOR ASSALTADO

Um vereador de Três Lagoas foi vítima de um assalto ocorrido no sábado passada em um estabelecimento da cidade. O parlamentar usou a tribuna na sessão de terça-feira (20) para dizer que ficou sob mira de um revólver durante um assalto, e que até foi obrigado a segurar a sacola para os bandidos. 

CRIMINALIDADE


Os índices de criminalidade em Três Lagoas foi um dos temas abordados durante a sessão de terça-feira. Vereadores criticaram o fato de várias câmeras de monitoramento estarem desligadas, bem como o novo prédio da Unei abandonado. Vale ressaltar que, tanto a obra da Unei, quanto as instalações do serviço de monitoramento, receberam investimentos milionários.

LONGA


Em sessão com duração de quatro horas, com discursos acalorados e troca de insinuações entre parlamentares, a Câmara de Vereadores de Três Lagoas aprovou de terça-feira, projeto de lei que autoriza o Poder Executivo a contratar financiamento de R$ 20 milhões para a modernização da administração tributária, visando melhorar a arrecadação municipal.

FARPAS

A aprovação desse projeto foi motivo para muita polêmica na Câmara. Vereadores da base , que votaram a favor do projeto, fizeram insinuações aos que foram contra. Os vereadores Gilmar Garcia Tosta (PSB) e Wellington Alves, o Cascão (PDT), quase “saíram no tapa” após discurso do pedetista. Gilmar ficou muito bravo com que Cascão disse na tribuna.

NEGOU

A juíza da Vara de Fazenda e Registros Públicos de Três Lagoas, Aline Beatriz de Oliveira Lacerda, negou o pedido de liminar apresentado pela Kurica Ambiental S.A para suspender o processo de contratação emergencial do serviço de coleta de lixo na cidade, realizado pela empresa Financial.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de Observatório

VEJA MAIS