RÁDIOS

OBSERVATÓRIO

Três Lagoas, 25 de fevereiro

Números de pedidos de afastamento deve aumentar devido as eleições 2024 em Três Lagoas

Entre 4 e 25 de janeiro, a Justiça Eleitoral receberá sugestões e pautará debates que moldarão o pleito

Por Redação JPNews
06/01/2024 • 07h00
Compartilhar

Neste ano as repartições públicas de Três Lagoas devem registrar um grande número de servidores pedindo afastamento do cargo, em razão da necessidade de desincompatibilização da função para disputar as eleições municipais.

Sugestões 

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) anunciou o período de interação com a sociedade para as Eleições Municipais de 2024. Entre 4 e 25 de janeiro, a Justiça Eleitoral receberá sugestões e pautará debates que moldarão o pleito, para promover transparência e inclusão no processo democrático. Além do período de envio de sugestões, o TSE promoverá audiências públicas para debater as propostas recebidas. Entre os dias 23 e 25 de janeiro.

Renovação

Em Três Lagoas, algumas lideranças políticas acreditam que haverá, pelo memos, 40% de renovação na Câmara Municipal de Três Lagoas. Uma vaga já é tida como certa, já que o presidente da Câmara Municipal, Cassiano Maia (PSDB), disputará a Prefeitura de Três Lagoas.

Debandada 

Ainda de acordo com essas lideranças políticas, o PSDB deve ser o partido em Três Lagoas que receberá o maior número de filiados neste ano, com o intuito de disputar as eleições de outubro. É que o ninho tucano tem mais condições de eleger vereadores no pleito deste ano.

Futuro 

A pergunta que não quer calar é:  Qual será o futuro do prefeito de Três Lagoas, Ângelo Guerreiro (PSDB), após o ano que vem, já que não pode disputar a prefeitura no pleito deste ano? Há quem diga que ele poderá assumir um cargo no governo do Estado a partir do ano que vem.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de JPNews Três Lagoas Observatório