RÁDIOS
Campo Grande, 22 de maio

Carta na manga

Barbosinha continua sendo a opção dos governistas para concorrer à Prefeitura de Dourados 

Por Adilson Trindade, colunista CBN CG
15/05/2024 • 12h30
Compartilhar
TODAS AS PRAÇAS: BOX INTERNA NESCAU ATÉ 31.12.24

O fato do vice-governador Barbosinha (PSD) não ter assumido o governo com a viagem do governador Eduardo Riedel (PSDB) aos Estados Unidos, é sinal que ele continua sendo a carta na manga para a disputa eleitoral em Dourados. Se ocupasse o cargo, estaria inelegível e se tornaria uma carta fora do barulho desse truco político. 


Para disputar a Prefeitura de Dourados, Barbosinha não pode mais assumir o governo nos últimos seis meses das eleições. Ou seja, a partir de abril. Por lei, Barbosinha só assumiria o comando do Estado com ausência de Riedel por mais de 15 dias. Não é o caso da licença concedida pela Assembleia Legislativa a Riedel para viajar aos Estados Unidos. Ele ficará menos de 15 dias fora do País.


Mas, geralmente e por tradição, o vice-governador substitui o governador em todas as viagens ao exterior independentemente da ausência ser menos de 15 dias. Como Barbosinha não recebeu o bastão, a leitura política é que ele está no radar para entrar na disputa em Dourados.

CBN: BANNER KAMPAI 03 14.05 A 31.05.2024
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O movimento nos bastidores é para Barbosinha ser o candidato apoiado pelo PSDB numa aliança com o PSD. Neste caso, o ex-deputado estadual Marçal Filho, recém filiado ao PSDB para concorrer a prefeitura, seria 'fritado'.

Barbosinha ao lado de Kassab, acompanhado por Nelsinho Trad, Pedrossian Neto e RiedelBarbosinha ao lado de Gilberto Kassab, Nelsinho Trad, Pedrossian Neto e Eduardo Riedel -  Foto: Rede Social

Ninguém fala abertamente sobre essas articulações para não gerar uma crise no ninho tucano. Mas a migração de Barbosinha do PP para PSD com a presença do governador Eduardo Riedel, na casa de Gilberto Kassab, em São Paulo, já foi um indicativo de apoio implícito a esse projeto eleitoral. Kassab é o presidente nacional do PSD e tem conversado com Riedel sobre a candidatura de Barbosinha.


O governador tem Barbosinha como um fiel parceiro político. E não teria nenhuma dificuldade de apoiá-lo na disputa eleitoral em Dourados. Mas, antes, precisa remover a pré-candidatura de Marçal, para unir PSDB ao PSD.  Riedel, por questão de fidelidade partidária, não pode declarar apoio público a Barbosinha enquanto não acertar a formalização de aliança entre os dois partidos.


É preciso, também, convencer o ex-governador Reinaldo Azambuja, comandante do PSDB, a desistir de Marçal para a construção de um projeto político mais amplo, com Barbosinha na cabeça de chapa na disputa em Dourados. As conversas já estão sendo feitas.


E se Barbosinha for mesmo o escolhido para disputar a prefeitura, os douradenses vão se deparar com uma revanche. O atual vice-governador perdeu as eleições de 2020 para Alan Guedes (PP). Essa disputa criou uma rivalidade política muito forte na região.

Os dois não se bicam mais e Barbosinha deixou o PP justamente para trabalhar pela derrota de Guedes. Ele, o Barbosinha, pode entrar no campo de batalha se contar com o respaldo de Ridel e Azambuja.

CLIQUE AQUI e siga nosso canal de notícias no WhatsApp.

Para sugerir pautas ou enviar vídeos e imagens, 
salve nosso número 67 9932 3500

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande