Campo Grande, 09 de dezembro
26º C
(67) 99229-0519

Criança de 11 anos passa mal no Pantanal e é resgatada por helicóptero

Menina, que vive em área remota, na região do Paiaguás, vomitava sangue há três dias

Por Rodolfo César, de Corumbá
25/11/2021 • 10h30
Compartilhar

Uma criança de 11 anos, moradora da região do Paiaguás, foi resgatada de helicóptero nesta quarta-feira (24) para receber atendimento médico de emergência em Corumbá. A área onde ela mora é distante 70 km da cidade e o acesso por meio terrestre é difícil. Conforme familiares, a menina vomita sangue há três dias e estava passando muito mal.

O equipamento utilizado para fazer o resgate é da Marinha do Brasil. Para permitir que a aeronave descesse em local seguro, foi utilizada uma área próxima da Escola Municipal Rural Sebastião Rolon. Os pais da menina a levaram para o local, que era o ponto mais fácil para chegar a partir da fazenda onde moram.

“A criança, segundo informações de familiares, estava vomitando sangue há três dias. O resgate foi feito com o auxílio de uma aeronave do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Oeste (EsqdHU-61), Organização Militar subordinada ao Com6ºDN, e o deslocamento foi feito com acompanhamento de um médico do Hospital Naval de Ladário (HNLa). Na chegada ao heliponto do EsqdHU-61, uma ambulância do Corpo de Bombeiros seguiu com a paciente, acompanhada do pai, para a Santa Casa de Corumbá”, detalhou a Marinha, em nota.

O médico do Hospital Naval acompanhou a criança para estabilizá-la e garantir que o transporte fosse feito com segurança. Não houve tratamento nesse transporte.

A menina deu entrada na Santa Casa de Corumbá na tarde desta quarta-feira (24) para realizar exames de emergência e haver o diagnóstico sobre o problema de saúde. O hospital foi procurado pela reportagem e deve divulgar boletim sobre a paciente na tarde desta quinta-feira.

Comentários

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Mais de CBN Campo Grande